Questão do Enem usada na edição de 2010, será anulada pelo MEC

2 Min. de Leitura

O MEC (Ministério da Educação) afirmou que vai anular uma das questões do segundo dia de provas do Enem 2023, que aconteceu neste domingo (12/12), por “falta de ineditismo”. A pergunta já havia sido usada na edição do exame de 2010.

A pergunta pedia ao candidato para interpretar um gráfico sobre os grupos que estavam mais expostos ao vírus da gripe A-H1N1 por estarem com baixa cobertura vacinal.

A questão 177 da prova amarela deste ano já havia aparecido com os mesmos dados e informações na prova aplicada em 2010 na edição PPL (pessoas privadas de liberdade). A repetição dos itens foi identificada por professores da SAS – Plataforma de Educação.

A escassez do BNI (Banco Nacional de Itens), de onde são retiradas as questões do Enem, vem sendo alertada por servidores do Inep há anos. Em março do ano passado, a equipe técnica do órgão produziu um documento em que previa a possibilidade de utilização de itens utilizados em edições anteriores para fazem o Enem 2022.

Desde 2009, quando o Enem ganhou o formato atual e virou vestibular, há dificuldade de produzir itens adequados em número suficiente para a compor a prova. O problema foi agravado durante o governo Jair Bolsonaro (PL), já que nos três primeiros anos de gestão não foram produzidas novas questões para compor o BNI./Folha SP

Compartilhar Notícia