O ceará não tem mais leitos de UTI, alerta Dr. Cabeto e anuncia dias difíceis em maio

2 Min. de Leitura

O Secretario de Saúde do Estado, Carlos Roberto Martins Rodrigues Sobrinho (Dr.Cabeto), em reunião do Sindicato da Indústria da Construção do Ceará (Sinduscon-CE) na última segunda-feira (13/04),  declarou que o Estado viverá dias muito difíceis em maio por conta da pandemia do coronavírus.

De acordo com Dr. Cabeto, 100% dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) já  estão ocupados e fim dos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) está previsto para daqui a cinco dias, dentro de poucos dias os hospitais não terão mais condições de atender as pessoas.

“No sistema público, eu não tenho mais leito de UTI, acabou. A gente tinha uma compra da China, que tinha me prometido entregar 250 respiradores mas soube ontem (13/04) que não vou receber nenhum”, disse o secretário. Segundo ele, foram compradas 15 mil covas para que os pacientes que forem a óbito em decorrência da doença tenha onde se enterrar. “Os EPIs, máscaras, viseiras, luvas que são necessárias a proteção do profissional de saúde, eles têm cinco dias de estoque. Estou escrevendo ao ministro (Luiz Henrique Mandetta) que o sistema de saúde do Ceará colapsou. E que nós vamos começar a ter morte de pessoas não entubadas e já estão tendo”, acrescentou.

No Ceará já são 2.146 casos confirmados, em 64 municípios, com 111 óbitos e uma taxa de letalidade de 5,17%.  Dr. Cabeto estima que a taxa de mortalidade chegue a 10% no fim deste mês.

Compartilhar Notícia