MPCE apura possíveis atos ilegais de servidores da AL na construção do partido Aliança pelo Brasil

2 Min. de Leitura

O Ministério Público do Estado do Ceará abriu uma investigação para apurar se houve o uso de servidores públicos da Assembleia Legislativa do Estado do Ceará para criar o partido Aliança pelo Brasil.

De acordo com reportagem do UOL, a denúncia envolve quatro assessores parlamentares lotados no gabinete do deputado estadual Delegado Cavalcante (PSL) e o próprio parlamentar.

O promotor Ricardo Rocha, da 24a Promotoria de Justiça Cível de Fortaleza, disse que há indícios para a abertura de uma investigação sobre a denúncia, que considerou grave. Segundo o documento entregue ao Ministério Público, o grupo teria atuado em campanhas e viajado por diversos estados, durante o horário de expediente na assembleia, para a coleta de assinaturas para que o partido pudesse obter o registro no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e concorrer às eleições.

A denúncia traz imagens e vídeos tirados das redes sociais dos assessores parlamentares em viagens para estados como Alagoas, Bahia, Paraíba, Rio Grande do Norte e Distrito Federal.

“Se a denúncia for comprovada, pode ser configurado o uso de patrimônio público para outro fim que não o interesse público e ensejar um processo por improbidade administrativa contra os funcionários e o próprio parlamentar”, enfatiza o representante do Ministério Público.

 

Compartilhar Notícia