/Ceará tem sete mortes por H1N1 neste ano

Ceará tem sete mortes por H1N1 neste ano

O Ceará registrou sete óbitos causados pela influenza H1N1, de acordo com a Secretaria Estadual da Saúde (Sesa), até 1º de junho deste ano. As ocorrências representam 13% das 53 mortes ocasionadas por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) neste ano, bem como uma queda de 87% em relação ao mesmo período do ano passado, quando houve 57 mortes pelo vírus.

Até abril, o monitoramento da Secretaria da Saúde mostrava apenas um óbito pela, no mês de março. A vítima era do sexo masculino, com faixa etária entre 40 a 49 anos, e não fez tratamento com o tamiflu, principal medicamento utilizado para tratar a gripe.

A secretaria mostra que, nas últimas semanas, “houve um incremento dos casos notificados de SRAG na macrorregião do Cariri”. Quatro casos de H1N1 foram confirmados no mês de maio nos municípios de Juazeiro do Norte e Crato, com três mortes. A informação foi confirmada pela Secretaria.

O Ministério da Saúde orientou na semana passada que os estados liberem a vacinação para todo o público. O Ceará, no entanto, decidiu manter as doses para os grupos prioritários até 14 de junho, já que o estado não alcançou a meta de imunizar 90% do público mais vulnerável.

A vacina contra a influenza é trivalente e protege contra três tipos da doença: a H1N1, a H3N2 e a B/Colorado/06/2017. Até 13h desta segunda (10), o Ceará já vacinou 2.266.437 pessoas contra a gripe. O alcance representa cobertura de 88,4% do público-alvo, enquanto a meta do Ministério da Saúde é chegar a 90%. A vacinação no Estado foi prorrogada até a próxima sexta (14)./ G1

Comente com Facebook