Artesãos cearenses já podem se inscrever para receber auxílio pela Lei Aldir Blanc

2 Min. de Leitura

Por meio da Lei Aldir Blanc, publicada em 30 de junho de 2020, artesãos cearenses e organizações culturais poderão ter acesso ao auxílio emergencial, por meio de 5 parcelas de R$600,00. Uma alternativa a artesãos e artistas que perderam renda por conta da pandemia do novo coronavírus. É preciso se inscrever no site oficial até o dia 9 de outubro. O Ceará recebeu um montante de R$ 138,6 milhões e disponibilizou cerca de R$ 71 milhões para o Estado, e R$67 milhões para os municípios.

Para solicitar o auxílio, os artesãos devem comprovar atividades nos 24 meses antes da publicação da Lei, maioridade e uma renda mensal de até R$552,50, ou renda familiar mensal de até R$3.135,00. Os artesãos também devem estar atentos a editais que estão sendo lançados no site da Secretaria de Cultura do Estado e seus municípios. Espaços culturais como feiras de artes e artesanatos, associações e organizações da sociedade civil também serão contemplados pela Lei, e poderão receber uma quantia entre R$ 3 mil e R$ 10mil, por três meses, de acordo com critérios definidos pelo gestor de cada local.

A secretária-executiva da Cultura do Ceará, Luisa Cela, afirmou que, em sua visão, a Lei veio em um momento muito importante, sinalizando o compromisso com os profissionais da área da Cultura. Ela afirma que por serem atividades que envolvem aglomerações, os setores de Cultura foram os primeiros a parar e provavelmente serão os últimos a retornar. Luisa afirma ainda que pretende garantir que os trabalhadores informais tenham um suporte e consigam se manter, até que possam voltar às atividades.

Socorro França, titular da PSP, afirma que, por meio da Central de Artesanato do Ceará (CeArt), pretende informar o máximo de artesãos possíveis, e auxiliá-los na obtenção do auxílio. Ela afirma que hoje são mais de 37 mil artesãos cadastrados na CeArt.

(Cominformações/OPovo)

Compartilhar Notícia