Torcedores do Valencia são condenados a oito meses de prisão por insultos racistas a Vini Jr.

4 Min. de Leitura

A Justiça da Espanha condenou três torcedores do Valencia a oito meses de prisão cada um por proferir insultos racistas ao brasileiro Vini Jr., do Real Madrid. A decisão foi anunciada nesta segunda-feira (10/6) e é o primeiro caso de condenação desse tipo no país da península Ibérica. As informações são do jornal espanhol Diario As.

Os três torcedores foram considerados culpados de crime contra a integridade moral com circunstâncias agravantes de discriminação por motivo racial, e a pena total foi de 12 meses. No entanto, houve redução para oito por causa da detenção durante a fase de investigação, que foi incluída nesse processo.

Além da prisão, os condenados estão proibidos de entrar em estádios de futebol onde se realizam jogos do Campeonato Espanhol ou da Real Federação Espanhola de Futebol (RFEF) por dois anos. Inicialmente, a previsão era de que essa punição fosse de três anos.

“Esta sentença é uma ótima notícia para a luta contra o racismo na Espanha, pois repara os danos sofridos por Vinicius Jr. e envia uma mensagem clara para aquelas pessoas que vão a um estádio de futebol para insultar, de que LaLiga vai identificá-los, denunciá-los e lá terão consequências criminais para eles”, disse o presidente de LaLiga, Javier Tebas, segundo a publicação.

Vini Jr. se pronunciou sobre a punição aos torcedores por meio de uma postagem no X, antigo Twitter. “Essa primeira condenação penal da história da Espanha não é por mim. É por todos os pretos”, disse ele. “Que os outros racistas tenham medo, vergonha e se escondam nas sombras. Caso contrário, estarei aqui para cobrar”, garantiu o atleta.

O Real Madrid também falou sobre a decisão da Justiça espanhola e ressaltou em nota que vai continuar a “trabalhar para proteger os valores do clube e erradicar qualquer comportamento racista do futebol e do esporte”.

Relembre o caso

O caso ocorreu em 21 de maio de 2023, no jogo entre Valencia e Real Madrid pela 35ª rodada do Campeonato Espanhol, no estádio Mestalla. Parte da torcida proferiu a Vini Jr. insultos racistas e o chamou de “mono” (macaco, em espanhol). O brasileiro identificou os torcedores que o ofenderam e o jogo foi paralisado no segundo tempo.

Vini se envolveu em confusão com atletas do Valencia em seguida e acabou expulso. Na ocasião, o Real Madrid foi derrotado por 1 a 0. Após a repercussão do caso, o Ministério Público de Valência denunciou as pessoas que insultaram o brasileiro por crime de ódio, e a Justiça espanhola levou o trio a julgamento.

Na audiência desta segunda-feira, de acordo com o As, os acusados leram uma carta com um pedido de desculpas a Vini Jr., LaLiga e ao Real Madrid. “A avaliação é muito positiva”, afirmou a procuradora e porta-voz da Promotoria de Valencia, Susana Gisbert, segundo o jornal. “É quase o primeiro caso de um jogo de futebol em que houve insultos racistas e temos uma condenação por um delito com agravante de ódio e isso é muito importante”, acrescentou ela./AE

(Foto reprodução)

Compartilhar Notícia