Senador pede a PGR que investigue o PL por suposta participação na tentativa de golpe de Estado

2 Min. de Leitura
Plenário do Senado Federal durante sessão não deliberativa. nnÀ tribuna, em discurso, senador Humberto Costa (PT-PE).nnFoto: Roque de Sá/Agência Senado

O avanço das investigações da Polícia Federal (PF) sobre “organização criminosa” composta por membros do governo de Jair Bolsonaro e a suspeita de envolvimento em uma tentativa de golpe de Estado, apontam que o Partido Liberal (PL), a sigla do ex-presidente, pode ter sido utilizada com o objetivo de minar a credibilidade das urnas eletrônicas nas eleições presidenciais de 2022.

Segundo a polícia, o PL teria financiado a “estrutura de apoio às narrativas” que alegavam possíveis fraudes nas urnas eletrônicas, buscando legitimar as manifestações ocorridas em frente às instalações militares. As investigações ainda revelaram que as ações financiadas pela legenda de Bolsonaro tinham o intuito de “antecipar o fundamento à execução de um golpe de Estado”.

O senador Humberto Costa (PT-PE) solicitou à Procuradoria-Geral da República (PGR) que investigue o PL pela suposta participação na tentativa de golpe de Estado e de abolição do Estado Democrático de Direito. No requerimento, o parlamentar qualifica como “preocupante, inconstitucional, ilegal e criminoso” o suposto uso de recursos do fundo partidário pelo PL para atacar a democracia.

“Ao final, se comprovados os ilícitos e atos criminosos eventualmente praticados, em tese, pelo Partido Liberal, consubstanciando-se em financiamento de atividades ilegais e criminosas com o objetivo de promover a invalidação da eleição do presidente Luiz Inácio Lula da Silva com a prática criminosa de abolição violenta do Estado Democrático de Direito, seja proposta, perante o Tribunal Superior Eleitoral, a competente Ação de Cassação de Registro Eleitoral do Partido Liberal, nos exatos termos da Lei 9096/95″, diz o documento.

Compartilhar Notícia