Secretários prestam esclarecimentos na AL sobre Acquario Ceará

3 Min. de Leitura

Titular da Secretaria da Infraestrutura (Seinfra), André Facó mostrou dados sobre a complexidade do equipamento, que deverá funcionar como centro de educação, pesquisa e entretenimento. “Poucos equipamentos no mundo têm esse porte e especificidade, com potencial para aumentar o trade turístico do Estado”, justificou André Facó. Segundo ele, os quatro setores de visitação do equipamento já estão erguidos nas obras de engenharia, que contam com 51% de conclusão.

O titular da Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag), Hugo Figueiredo, disse que o equipamento sairá por R$ 348 milhões, oriundos de iniciativa pública. Conforme Figueiredo, quando concluído, o aquário cearense será o quarto colocado em capacidade de volume de água em todo o mundo, com 15 milhões de litros. O secretário citou ainda estudo do Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (Ipece) sobre os impactos positivos do equipamento turístico para a economia do Estado, e o incremento da arrecadação de ICMS.

A secretária-adjunta da Secretaria do Turismo do Ceará (Setur), Denise Carrá, trouxe exemplos de construções do Museu Guggenheim Bilbao, na Espanha, e do Parque nas Nações, em Portugal, que mudaram o cenário das cidades e alavancaram a economia daqueles países, por meio da conquista de turistas e geração de novos empregos. “O investimento no setor turístico não é equivocado. Temos que investir no potencial turístico que já temos no Ceará. Não adianta só sermos hospitaleiros, ter sol todos os dias. Temos que ter um diferencial e mudar o perfil do turismo no nosso estado”, acentuou.

Denise esclareceu ainda que a decisão judicial que determinou suspensão de repasse de verbas para o Acquario não trará prejuízos para a obra, pois as atividades já haviam sido paralisadas pela própria Setur. Segundo ela, a iniciativa da secretaria teve propósito de realizar vistorias já previstas em contrato.

Mauro Filho, titular da Secretaria da Fazenda (Sefaz), prestou informações sobre o processo de financiamento das obras, que, segundo ele, estão dentro do que determina a legislação. Mauro Filho informou que o empréstimo tem o aval da Comissão de Financiamentos Externos (Cofiex), órgão do Ministério do Planejamento,Orçamento e Gestão, e da Secretaria do Tesouro Nacional (STN).

Os deputados com ideias contrárias a execução da obra argumentaram que há outras áreas do Ceará que precisam de atenção e deveriam ser prioridade do Governo, como saúde e educação. Já os Deputados favoráveis, destacaram a importância do empreendimento para o turismo do Estado.

Compartilhar Notícia