PSOL Ceará, diz que homem agredido por Ciro Gomes não é filiado a sigla e repudia agressão

1 Min. de Leitura

O PSOL Ceará emitiu Nota nesta segunda-feira (5/12) negando que o homem que sofreu agressão física do ex-ministro Ciro Gomes (PDT) seja um membro filiado a legenda. O jovem identificado como Tiê Rocha, é um ativista defensor da causa LGBTQIA+.

Embora a legenda negue tratar-se de um filiado da sigla, na Nota, ela repudia qualquer tipo de agressão, seja ela verbal, psicológica ou física, motivada por questões de classe, gênero, orientação sexual, raça, física ou outra.

A Nota diz ainda que a luta LGBTQIA+ é um símbolo do partido, e no caso específico da agressão ao jovem, há uma enorme desigualdade de poder que não pode ser omitida, que gera também consequências desiguais para as pessoas envolvidas, como os atos de transfobia demonstrados.

Por fim, a legenda diz que preza pelo diálogo aberto e fraterno com a sociedade, partidos políticos progressistas e movimentos sociais, não abrindo mão de suas bandeiras, zelando pelo respeito no campo do debate de ideias e lutando por uma sociedade mais justa, igualitária, humana e fraterna.

Compartilhar Notícia