Primeiras doses de vacina contra a dengue chegam ao Brasil

2 Min. de Leitura

O Ministério da Saúde anunciou que as primeiras doses da vacina Qdenga, contra a dengue, chegaram ao Brasil. A primeira remessa tem 750 mil unidades do imunizante, que será disponibilizado pelo Sistema Único de Saúde (SUS) neste ano.

O lote, que desembarcou no país nesse sábado (20/1), faz parte do total de 1,32 milhão de doses da vacina fornecidas, sem cobrança, pela farmacêutica japonesa Takeda ao Ministério da Saúde. Uma segunda remessa, com 570 mil imunizantes, têm previsão de ser entregue em fevereiro.

A lista dos municípios que receberão as doses e a estratégia de vacinação para cada um serão informadas pelo Ministério da Saúde nos próximos dias. A previsão é que as aplicações da Qdenga comecem em fevereiro.

As vacinas ainda precisam passar pelo processo de liberação da alfândega e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa); em seguida, serão enviadas para o Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS).

Além desses dois lotes, o Ministério da Saúde comprou o quantitativo total disponibilizado pelo fabricante para 2024: 5,2 milhões de doses. Os imunizantes devem ser entregues ao longo do ano, até novembro.

A farmacêutica responsável por fabricar a vacina comunicou que a capacidade de fornecimento de doses ainda é limitada; por isso, não pôde disponibilizar os imunizantes em larga escala inicialmente.

O Ministério da Saúde detalhou que, diante da capacidade de fabricação da empresa, cerca de 3,2 milhões de pessoas devem ser vacinadas neste ano no Brasil, pois o imunizante depende de duas doses, com intervalo mínimo de três meses entre elas, para ter eficácia.

O público-alvo da primeira etapa de atendimento serão crianças e adolescentes de 10 a 14 anos, faixa etária que concentra o maior número de hospitalizações por dengue, após a de pessoas idosas. A liberação para esse segundo grupo, porém, ainda depende da Anvisa.

Atualmente, o imunizante é usada pela União Europeia e em países como Islândia, Liechtenstein e Noruega, além de Grã-Bretanha, Irlanda do Norte, Indonésia, Tailândia e Argentina./Metrópoles

(Foto reprodução)

Compartilhar Notícia