Pisa aponta que pandemia derrubou qualidade da educação no mundo a nível “sem precedentes”

2 Min. de Leitura

Um dos principais exames educacionais do mundo, o Pisa (Programa Internacional de Avaliação de Estudantes, na sigla em inglês), é um estudo comparativo internacional realizado a cada três anos para avaliar o desempenho dos estudantes de 15 anos.

A última edição estava programada para acontecer em 2021, mas foi adiada em um ano por conta da crise sanitária. Os dados de 2023 são especialmente importantes porque representam a primeira avaliação internacional a medir o desempenho dos estudantes depois da pandemia de Covid-19 e do fechamento de escolas causado por ela. Assim, os resultados permitem analisar quais países acumularam maiores perdas durante o período.

As provas avaliam o conhecimento dos jovens em três áreas: leitura, matemática e ciências. A cada edição uma delas é escolhida para ser tratada com maior ênfase, o que significa que os estudantes respondem a mais questões sobre essa área do conhecimento.

Nesta edição, aplicada entre abril e maio de 2022, matemática foi essa área.

O desempenho dos estudantes brasileiros não avançou após a pandemia nas três áreas do conhecimento avaliadas pelo Pisa 2022, uma das principais avaliações de qualidade da educação básica do mundo. Depois de uma década sem melhora significativa, o Brasil agora registrou pequena queda ou estabilidade, ao mesmo tempo que a nota nos países ricos caiu para níveis “sem precedentes”.

Mesmo o Brasil estando há alguns anos em um estado de letargia na área educacional, a ausência do MEC (Ministério da Educação) no governo Jair Bolsonaro (PL) na coordenação das respostas durante a pandemia foi emblemática. Se não fosse pelos esforços de municípios e estados, e também das próprias famílias, os resultados brasileiros seriam ainda mais preocupantes.

Compartilhar Notícia