PDT do Ceará não tem mais diretório ativo no estado

1 Min. de Leitura

O acordo entre Cid Gomes (PDT-CE) e André Figueiredo (PDT-CE), antes do rompimento definitivo, era para que o senador cearense assumisse o comando da legenda pedetista no estado até 31 de dezembro e procurasse reorganizar a sigla no Ceará. No meio do percurso Cid concedeu uma carta de anuência para o presidente da Assembleia Legislativa do Ceará, Evandro Leitão para deixar a sigla, foi o estopim para um rompimento sem volta entre as duas correntes políticas.

Nesta segunda-feira (2/1) O sistema do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) foi atualizado e o PDT, em nível estadual, não tem mais diretório ativo ou órgão provisório cadastrado. Até dia 31 de dezembro do ano passado, o senador Cid Gomes era o presidente do partido no Ceará.

Ao acessar o sistema é possível ver, além de presidentes partidários, qual a situação dos diretórios que estejam ativos ou não. Em consulta, o PDT não tem nenhum registro encontrado. A formação antiga, autorizada pela Justiça Eleitoral em 18 de outubro, seguiu apenas até 31 de dezembro de 2023.

Com o grupo cidista de malas prontas para desembarcar no PSB, resta a outra ala do PDT Ceará encontrar um novo caminho. 

Compartilhar Notícia