Papa pede tratado internacional para regulamentar inteligência artificial

2 Min. de Leitura

O papa Francisco exortou a comunidade internacional, nesta quinta-feira (14/12), a adotar um tratado vinculante para regular o uso da inteligência artificial (IA) e insistiu na importância da ética ante os “graves riscos” ligados às novas tecnologias.

Em uma mensagem divulgada pelo Vaticano por ocasião da 57ª Jornada Mundial da Paz, que acontecerá em 1º de janeiro por iniciativa da Igreja Católica, o pontífice pede a adoção de “um tratado internacional vinculante que regule o desenvolvimento e o uso da IA em suas diversas formas”.

Nesse sentido, Jorge Bergolgio, que no domingo completará 87 anos, convida à reflexão sobre o “sentido do limite” e afirma que o ser humano “corre o risco […], na busca da liberdade absoluta, de cair na espiral da uma ditadura tecnológica”.

A IA, que “será cada vez mais importante”, pode ser usada para “campanhas de desinformação”, “interferência nos processos eleitorais” e “influenciar as decisões dos indivíduos”, escreve o papa nesta mensagem de seis páginas publicada pelo Vaticano em vários idiomas.

O sumo pontífice celebra as “conquistas extraordinárias da ciência e da tecnologia”, ao mesmo tempo em que avalia que elas “estão colocando nas mãos do homem um vasto leque de possibilidades, algumas das quais representam um risco para a sobrevivência humana e um perigo para a casa comum”.

“Os notáveis progressos das novas tecnologias de informação […] apresentam, portanto, oportunidades animadoras e graves riscos, com sérias implicações para a busca da justiça e da harmonia entre os povos”, insiste./ Folha SP

(Foto reprodução)

Compartilhar Notícia