/Os sinais, o Papa e o cruzamento do antigo bar do Jurandir. Por Reginaldo Silva

Os sinais, o Papa e o cruzamento do antigo bar do Jurandir. Por Reginaldo Silva

Essa semana uma imagem viralizou na internet. Em uma celebração em Loreto, o Papa Francisco recolhe a mão quando católicos tentam beijar o anel do pescador, símbolo do pontificado. Os fiéis mais conservadores se apressaram em dizer que Francisco tenta acabar com um ritual secular da Igreja Católica. A assessoria de imprensa do Vaticano tratou de esclarecer dizendo que o gesto de Francisco foi higiênico e tinha o objetivo evitar a disseminação de germes.

Se no Vaticano o sinal do Papa Francisco de recolher a mão para que os fiéis não a beijassem causou alvoroço, em Nova Russas os sinais são outros, a falta de gestos tem ocasionado uma série de fatores que causam alvoroço na população.

O entorno da igreja de São Francisco está em pleno estado de escuridão, o mesmo ocorre com a rua Napoleão Moura ao lado da praça.

Como a população paga uma alta Contribuição de Iluminação Pública (CIP), fica o questionamento para a Câmara e a prefeitura municipal. Onde está sendo aplicado os recursos da CIP? Alguém do parlamento ou da gestão poderia apresentar esses números? Prestar contas com a população é um dever dos homens públicos.

A preocupação do Papa com a higiene dos fieis, também deveria servir de exemplo para a gestão em relação a limpeza pública da cidade. As ruas continuam tomadas pelo mato e aumenta a preocupação dos moradores com o retorno da Chikungunya e com a proliferação de insetos em virtude da falta de asseio.

Em Nova Russas, o sinal do cruzamento da avenidas, doutor Osvaldo Martins e J. Lopes Pedrosa refletem o estado de letargia da gestão em relação aos problemas da cidade. O sinal  fica verde e vermelho ao mesmo tempo e induz a indecisão. Ir ou não ir, eis a questão.

A ausência de autoridades políticas em audiências públicas como a da CDL e da reforma da Previdência também demonstra o comodismo e a falta de interesse da classe política com temas que afetam diretamente a população. Muitos são os interesses pessoais, poucos se interessam em debater os reais problemas que afetam o município.

Em Loreto, o sinal dado pelo Papa demonstra que um costume secular pode ser alterado, em Nova Russas, o sinal envidado por parte da classe política demonstra querer secularizar costumes que afetam e maltratam os menos favorecidos.

É preciso uma reflexão sobre a falta de gestos simbólicos que transmitam interesse em transformar a realidade do município. Na religião e na política, precisamos de sinais como o de Francisco, que pense na saúde e no bem estar do próximo.

Quanto ao título da matéria, alguns devem estar se perguntando, o que o bar do Jurantir tem haver com o texto? Respondo. Nada. Essa foi só uma forma singela de reverenciar historicamente alguém que marcou época naquele cruzamento do bairro Progresso onde fica o referido sinal.

*Reginaldo Silva, professor, radialista e editor do Ceará Noticias.

 

 

 

Comente com Facebook