O afastamento de Marcelo Machado, a nova gestão e a sucessão em Crateús. Por Reginaldo Silva

4 Min. de Leitura

Por Reginaldo Silva- Professor, Radialista e Jornalista

Não houve “golpe” no afastamento do prefeito Marcelo Machado em Crateús. O Ministério Público iniciou uma investigação nos processos licitatórios que envolvia gastos com publicidade, contratação de máquinas pesadas e limpeza pública, encontrando fortes indícios de irregularidades. A Justiça acatou o pedido de afastamento e Marcelo Machado completa um mês, neste dia 16 de junho, fora da prefeitura de Crateús.

A Justiça quer saber a legalidade dos pagamentos na contratação de máquinas pesadas, limpeza pública e publicidade, por essa razão, pediu o afastamento do gestor de Crateús por 180 dias, prazo que Marcelo Machado Machado terá para justificar de forma documental, como e onde foram empregados esses recursos.

Saindo da questão jurídica e entrando na política, Marcelo Machado ainda deixou seus aliados em maus lençóis. Passou sete anos e meio sem preparar um nome para sucedê-lo. Talvez por vaidade ou mesmo por escassez de lideranças no grupo, o fato é que, após seu afastamento o grupo ficou acéfalo. Marcelo nunca chegou a citar algum nome; as rodas de conversas, a imprensa e os caldeirões da política de Crateús é que indicavam os possíveis pré-candidatos; Dr. Gomes, Betinha Machado e Deusimar da Ponte, foram os mais citados, mas, Marcelo nunca decidiu.

O médico Dr. Nenzé Bezerra, que até então, cumpria divinamente seu papel de vice-prefeito, sempre elogiado por toda gestão, paparicado por todos, da noite para o dia, passou a ser acusado de aplicar um golpe. A narrativa não colou. Dr. Nenzé é um homem íntegro de conduta ilibada como cidadão e profissional da medicina. Ele fez o que tinha que ser feito, assumiu seu dever cívico e constitucional, após o afastamento do titular e vem cumprindo sua missão colocando a máquina para andar.

Em um mês de gestão, Dr. Nenzé Bezerra nomeou uma nova equipe de trabalho, efetuou o pagamento dos servidores e anunciou R$ 1,5 milhão de investimentos para área da saúde, fruto da parceria com o senador Cid Gomes. Os serviços essenciais estão andando, a normalidade vai tomando conta da cidade e agora o município se prepara para comemorar mais um ano de emancipação política no início do mês de julho.

Quanto a sucessão em Crateús, o quadro ainda é de indefinição. O senador Cid Gomes visitou o município neste sábado, 15 de junho, para realização de um Congresso do PSB, partido do prefeito Dr. Nenzé Bezerra e declarou que a pré-candidata “natural” em Crateús é a senadora Janaína Farias do Partido dos Trabalhadores. Cid diz que o fato de Dr. Nenzé ter assumido a prefeitura, não muda o quadro que já vinha sendo tratado politicamente com o ministro Camilo Santana e o governador Elmano de Freitas.

Marcelo Machado agora literalmente no campo de oposição, tem seu muro ampliado pela frente, sem a prefeitura, sem um candidato definido e ainda tendo que enfrentar a Justiça, para provar que aquilo que o Ministério Público investiga não é verdade. Além desses problemas, Marcelo Machado ainda conta com um outro fator importantíssimo que joga contra ele, o tempo. Talvez, esse realmente seja o maior problema de Marcelo Machado no momento, já que estamos a um mês das convenções municipais.

Compartilhar Notícia