/Nova Russas: os fatos que marcaram 2018

Nova Russas: os fatos que marcaram 2018

No início de 2018 tomava posse a Nova Mesa Diretora da Câmara, presidente Texeira, Vice-presidente, Izabel Moura, 1º secretário, Denilson e 2ª secretária, Socorrinha Holanda.

No dia 11 de janeiro o vice-prefeito de Nova Russas, Junior Mano, anunciava em uma emissora de rádio local o rompimento oficial com o prefeito municipal, Rafael Pedrosa. Naquele momento ele deixava o governo juntamente com seis vereadores e três secretários municipais.

O Ministério Público pediu a condenação dos ex-prefeitos Paulo Evangelista e Gonçalo Diogo por terem descumprido um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) que teriam firmado com o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais, mesmo a dívida tendo sido contraída por gestores anteriores.

Mesmo diante de insistentes cobranças por parte da imprensa a Câmara Municipal de Nova Russas não transmitiu uma única sessão durante o ano de 2018 deixando um legado de total falta de transparência dos atos públicos do Poder Legislativo.

No esporte a grande alegria veio do jovem Alexandre Teles que ganhou um título mundial em sua categoria de Muay Thai na Tailândia.

Vereadores foram ao Ministério Público de Nova Russas denunciar a farra das diárias na gestão municipal. De acordo com a denuncia o prefeito teria tirado mais diárias em um ano que os prefeitos de Sobral e Fortaleza.

Um vazamento de água no teto do Hospital Municipal José Gonçalves Rosa ganhou as redes sociais e foi parar nos principais veículos de comunicação do Estado.

As campanhas por falta de transporte escolar, ônibus universitários e ônibus para pacientes da Hemodiálise também ganharam destaques nas mídias sociais.

Os vereadores Adalberto Filho, Rejane Tavares, Chiquinho Diogo, Teixeira, Paulinho Ta Legal,  Marcelo Evangelista, Izabel Moura, Socorrinha Holanda e Vanda Calaça também foram alvos de protestos nas mídias sociais por votarem o último aumento da conta de água que elevaria em mais de 100% em apenas um ano e meio de administração.

A Câmara dos Dirigentes Logistas (CDL) sob o comando da presidente Terezinha Abreu, ganhou força quando mobilizou a sociedade contra o aumento do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) e alcançou os objetivos desejados.

Neste ano, Nova Russas comemorou 96 anos de Emancipação Política, sem grandes eventos, registrado na inauguração de uma arco na entrada da cidade que liga o município a capital cearense.

Em 2018, todas as atenções se voltaram para as eleições presidenciais, governador e deputados estaduais e federais.

Neste ano, Nova Russas teve seu melhor momento político, pela primeira vez na história conseguiu eleger um filho da terra deputado federal. Junior Mano foi eleito pelo Patriota com 67 917 votos.

A família Pedrosa conseguiu manter seu representante na Assembleia Legislativa, o deputado estadual Bruno Pedrosa.

Jeová Mota que neste ano apresentou dois projetos na Assembleia Legislativa para Nova Russas, incluindo o Carnaval e as Festas de Agosto no calendário oficial de Eventos Culturais do Estado, foi pela segunda vez consecutiva o deputado estadual mais votado no município.

No fim do ano a P2 Engenharia anunciou que não tem mais intenção de prestar serviços para prefeitura em virtude de atrasos constantes nos repasses para pagamentos dos profissionais de limpeza da cidade. O sindicato da categoria entrou na Justiça contra a empresa e a prefeitura pelo descumprimento da lei em relação aos garis.

O vereador Adalberto Filho foi eleito presidente da Câmara Municipal por unanimidade, graças ao apoio do deputado federal Junior Mano.

Junior Mano, Jeová Mota e Bruno Pedrosa foram diplomados em 19 de dezembro no Centro de Eventos de Fortaleza.

Jamil Almeida, Superintendente do Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Nova Russas protagonizou um dos últimos acontecimentos políticos da virada do ano de 2018. Ao ser exonerado pelo prefeito municipal Rafael Pedrosa do cargo, anunciou que vai divulgar os nomes de vereadores que teriam suas redes de abastecimento de água cortadas e por essa razão pediram sua demissão do cargo.

Em 2018 surge a Direita Independente, fruto da onda bolsonarista empurrada pelas redes sociais que elegeram um presidente da República.

Como podemos constatar não tivemos grandes eventos que impactasse positivamente na vida das pessoas. A eleição de um deputado federal foi um grande feito, mas que só poderá ser mensurada nos anos seguintes. Também fica claro que a participação das pessoas nas redes sociais está cada vez maior e isso representa um ponto positivo que pode provocar mudanças de comportamento social.

Que venha 2019.

 

 

 

Comente com Facebook