NOVA RUSSAS: A CHYCUNGUNYA PODE VOLTAR

2 Min. de Leitura

Nova Russas foi um dos municípios cearenses que mais sofreu com o alto índice de infestação do mosquito Aedes aegypti em 2016.

A epidemia de chycungunya que tomou conta da cidade não poupou ninguém. Homens, mulheres, crianças e idosos lotaram o Hospital Municipal José Gonçalves Rosa que mesmo diante de condições precárias conseguiu atender a população no momento da crise. O fato é que até hoje pessoas ainda sofrem com os sintomas da doença. Também é fato que todos devem dar as mãos para combater o mosquito e evitar que ele volte com uma fúria ainda maior.

Os Agentes de endemias precisam estar atentos aos ciclos e aos locais com maior índice de infestações, bem como o Hospital Municipal José Gonçalves Rosa deve trabalhar de forma integrada com os demais setores da saúde, cruzando os dados  para evitar outra epidemia e principalmente poupar crianças e idosos dessa dor perversa ocasionada pelo Aedes aegypti mosquito transmissor da doença.

O poder público tem um papel muito importante nesse combate, mas todo seu esforço será em vão se a população não colaborar. Cada cidadão também é corresponsável e precisa fazer vistorias periódicas em seus imóveis para evitar focos do mosquito, evitar que água de chuva se acumule sobre a laje e calhas, guardar garrafas sempre de cabeça para baixo, encher até a borda os pratinhos dos vasos de planta e eliminar adequadamente o lixo que possa acumular água, como pneus velhos, latas, recipientes plásticos, tampas de garrafas e copos descartáveis.

Quem já sofreu a dor da Chycungunya jamais quer sentir novamente, portanto,  cabe a cada um também fazer a sua parte. Uma cidade para ser limpa e saudável passa pela mudança de postura de cada cidadão. O mosquito pode voltar, se alguém deixar de cumprir com seu papel nessa jornada.

 

Compartilhar Notícia