Ministério da Saúde libera 3ª dose de vacina contra Covid para jovens de 12 a 17 anos

3 Min. de Leitura

O Ministério da Saúde autorizou nesta sexta-feira (27/05) a aplicação da terceira dose da vacina contra a Covid-19 em adolescentes de 12 a 17 anos. Até então, o reforço estava liberado apenas para jovens imunossuprimidos e pessoas com 18 anos ou mais.

A terceira dose deverá ser aplicada quatro meses após a segunda dose, preferencialmente com a vacina da Pfizer. Em nota técnica, a pasta afirma, no entanto, que, na falta do imunizante por “motivos logísticos ou de acesso”, o reforço poderá ser feito com a Coronavac, produzida pelo Instituto Butantan.

O esquema será o mesmo para as adolescentes grávidas ou puérperas. A única exceção é para os adolescentes imunocomprometidos, que podem receber apenas a vacina da Pfizer —e já estavam sendo vacinados desde fevereiro. ​

Apesar da autorização do ministério, estados e municípios têm autonomia para definir o início da terceira dose no novo público-alvo.

A recomendação para a terceira dose em adolescentes havia sido feita duas semanas atrás pela câmara técnica que assessora o ministério.

Na nota técnica, a pasta considerou que o cenário epidemiológico ainda é incerto e que as evidências científicas demonstram a “redução da resposta protetora do esquema de 2 doses para a variante Ômicron” no grupo de 12 a 17 anos.

O documento foi assinado nesta sexta-feira à noite pela secretária extraordinária de enfrentamento à Covid, Rosana Leite de Melo, e pelo diretor do programa da Secretaria Extraordinária de Enfrentamento à Covid, Danilo de Souza Vasconcelos.

“Enfatiza-se a importância da vacinação completa em toda a população e mudanças nas estratégias de vacinação para pessoas com 12 a 17 anos de idade devem ser consideradas. Uma vez que existe uma tendência a redução da efetividade das vacinas contra a covid-19 com o passar do tempo, deve-se utilizar os imunizantes disponíveis no país para garantir doses de reforço para todos os indivíduos elegíveis”, diz a nota técnica.

Na semana passada, o ministério autorizou a aplicação da quarta dose em idosos com 60 anos ou mais. O segundo reforço deve ser aplicado quatro meses após o primeiro com Pfizer —preferencialmente—, Janssen ou Astrazeneca.

As vacinas da Janssen e da AstraZeneca, no entanto, não foram autorizadas pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para a faixa etária de 12 a 17 anos.

Segundo o Ministério da Saúde, apenas 55% das crianças e adolescentes de 12 a 17 anos tomaram a primeira dose da vacina contra a Covid-19 e 44% a segunda. Como mostrou a Folha, o percentual também é baixo entre os jovens com 18 anos ou mais.

A vacinação de crianças, especialmente daquelas entre 5 e 11 anos, foi autorizada pelo Ministério da Saúde em meio à resistência do presidente Jair Bolsonaro./ Folha SP

Foto: reprodução

Compartilhar Notícia