Marcelo Ramos diz que houve ingerência do Planalto para tirá-lo do cargo

1 Min. de Leitura

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), afirmou que a decisão de convocar nova eleição para os cargos da Mesa Diretora até então ocupados por deputados que mudaram de partido foi baseada no Regimento da Casa.

Lira diz que o Regimento da Câmara é transparente e a mudança de legenda partidária provoca perda automática do cargo que ocupa. Ele afirma que o ato não passa nem pela Mesa Diretora, é uma função chancelada pela Secretaria-Geral da Mesa.

Marcelo Ramos que perdeu o cargo na Mesa Diretora nesta segunda-feira (23/05) por ter trocado o PL pelo PSD, contesta. “Essa não é uma decisão regimental ou jurídica, mas uma decisão política perigosa, porque atenta contra a liberdade de autonomia deste Poder”, disse Ramos.

Para ele, houve ingerência do Poder Executivo para tirá-lo do cargo. “Entre aceitar o silêncio em relação aos ataques do presidente Bolsonaro à Zona Franca de Manaus ou manter-me na vice-presidência, eu decidi ficar do lado do povo do Amazonas”, disse Ramos.

Compartilhar Notícia