/Justiça manda investigar candidatos a deputados do PSL no Rio de Janeiro

Justiça manda investigar candidatos a deputados do PSL no Rio de Janeiro

A Justiça Eleitoral determinou que a Polícia Federal investigue o uso de supostos “laranjas” na prestação de contas de candidatos a deputado pelo PSL do Rio na eleição de 2018.

O pedido de abertura de inquérito policial foi apresentado ao Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ) pelo promotor eleitoral Francisco Franklin Passos Gouvêa.

Na denúncia, Gouvêa afirma que existem ” indícios de eventual prática do crime previsto no artigo 350 do Código Eleitoral”, que trata de falsidade ideológica eleitoral e caixa 2.

O promotor suspeita de irregularidades na prestação de contas de pelo menos três candidatos que disputaram a eleição no Estado: os suplentes de deputados federais Raquel Niedermeyer (Raquel Stasiaki) e Clébio Lopes Pereira “Jacaré” e o deputado estadual Marcelo Ferreira Ribeiro (Marcelo do Seu Dino).

A denúncia foi recebida pelo juiz Rudi Baldi Loewenkron, do TRE-RJ, em 24 de setembro. Agora, cabe à Polícia Federal fazer a investigação. O procedimento no TRE tramita em segredo de Justiça.

A DEFESA

O presidente do PSL no Rio de Janeiro é o senador Flávio Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro. Ele não é investigado nesse caso. Em nota, Flávio afirmou que “cada candidato tem responsabilidade individual por suas contas eleitorais e presta informações à Justiça Eleitoral”.

No texto, o senador ainda esclarece: “A presidência do partido afirma que é contra qualquer tipo de irregularidade e que não compactua com quem comete fraudes ou está à margem da lei. Se confirmada qualquer irregularidade, o partido tomará as medidas cabíveis”.

 

Comente com Facebook