/Famosas se posicionam e pedem que o STF criminalize a homofobia

Famosas se posicionam e pedem que o STF criminalize a homofobia

Nesta quarta-feira (13/02), acontece no Superior Tribunal Federal (STF) o julgamento das ações que pedem para que a homofobia e a transfobia sejam tipificadas como crime.

A preocupação em criminalizar esse tipo de discriminação começou a ganhar destaque em 2012, quando a primeira ação foi aberta pela Associação Brasileira de Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Intersexo (ABGLBT). Antes disso, em 2006, um Projeto de Lei (PL 122) com o mesmo propósito já tramitava no Congresso, mas ele acabou sendo engavetado.

Em apoio à causa, já que o Brasil é o país que mais mata LGBTs –dado levantado pelo grupo gay Bahia–, famosas estão se mobilizando no Instagram para pedir que os atos preconceituosos sejam julgados como crime.

A principal imagem que está sendo usada por figuras conhecidas, como Nanda Costa, Tais Araújo e Letícia Colin, é a de uma ilustração em que mãos de diferentes cores estão entrelaçadas, enquanto que a bandeira LGBT aparece de fundo com a hashtag #CriminalizaSTF.

Já Bruna Linzmeyer escolheu postar uma foto ao lado da namorada, Priscila Visman , e desabafou sobre como a homofobia segrega, machuca e tira oportunidades das pessoas.

“[…] O que não falta, se quisermos mesmo ver, são notícias de jornal falando de violências e homicídios contra pessoas lgbtq só porque essas pessoas são lgbtq. É a dificuldade de conseguir um emprego, de alugar uma casa, só porque você é trans, ou um casal de lésbicas, ou um casal gay. Hoje o Supremo Tribunal Federal vota a criminalização da lgbtqfobia. Torna crime um ato motivado somente por ódio”, escreveu a atriz. / M de Mulher

 

Comente com Facebook