Enem dos Concursos: inscrição começa nesta sexta

7 Min. de Leitura

Uma das etapas da reforma administrativa ‘fatiada’ do governo Lula, o Concurso Público Nacional Unificado terá início nesta sexta-feira (19/1), quando serão abertas as inscrições para 6.640 vagas em 21 órgãos públicos federais. O chamado “Enem dos Concursos” terá salários de até R$ 23 mil e um novo formato de avaliação, que deixou os concurseiros em alerta.

As provas serão aplicadas em 5 de maio, em 220 cidades do País. Ou seja, os interessados terão menos de quatro meses para se preparar. O Ministério da Gestão e Inovação em Serviços Públicos (MGI), responsável pelo certame, afirma, porém, que não há mudanças drásticas no conteúdo das avaliações, apenas uma focalização maior, de acordo com o perfil de cada vaga.

Os cargos foram divididos em oito blocos temáticos (confira abaixo), que terão provas e conteúdos programáticos diferentes. O peso dos conteúdos, na composição da nota, vai variar segundo a vaga pretendida, de forma semelhante ao que já ocorre no Sistema de Seleção Unificada (Sisu), voltado ao ensino superior.

“Por exemplo: no bloco 1, de Infraestrutura, Exatas e Engenharias, você tem vagas para analistas de infraestrutura e especialista em políticas públicas e gestão governamental. No primeiro caso, são profissionais que vão acompanhar a execução e fiscalização das obras. Já o segundo ficará mais na coordenação e planejamento estratégico. Ambos farão exatamente a mesma prova, mas a parte referente às obras terá peso muito maior para o analista”, explica o assessor do MGI, Pedro Assumpção Alves.

Os candidatos poderão concorrer a mais de uma posição, desde que seja dentro do mesmo bloco temático. Para isso, deverão classificar os cargos por ordem de preferência. Essa escolha não poderá ser alterada após o resultado da prova e também terá impacto na lista de espera. Por esse motivo, segundo Alves, a orientação é que os concurseiros façam a seleção com base na real preferência, e não olhando para a relação candidato/vaga, que indica quão concorrido é o concurso.

“Vamos supor que você tenha passado na sua terceira opção, mas, um tempo depois, abriram vagas na primeira ou segunda opções. Mesmo que tenha assumido a posição inicial, você será chamado para esses novos cargos. E aí poderá optar se fica na vaga atual ou se muda”, explica o técnico da Secretaria de Gestão de Pessoas. “Você nunca será chamado (nessa dinâmica da lista de espera) para uma opção que esteja abaixo (da sua atual posição, considerando o ranking de escolhas). Apenas para as que estejam acima”, afirma.

Para algumas vagas, o currículo do candidato também será considerado e somará pontos, para além do desempenho na prova. “O currículo entra como prova de títulos, que podem ser acadêmicos ou de comprovação de experiência profissional”, explica Alves. Para o cargo de engenheiro, da Advocacia Geral da União (AGU), por exemplo, os títulos de mestre e doutor valerão quatro e seis pontos, respectivamente.

Confira abaixo um passo a passo para entender os editais e realizar a inscrição:

Escolha o bloco temático

A primeira etapa é definir em qual bloco temático apostar de acordo com a formação, o perfil profissional e a aspiração dentro da carreira pública. São oito blocos no total, sendo sete voltados a profissionais com ensino superior e um para nível médio.

Caso o candidato se arrependa da escolha, será possível alterar o bloco até o fim do período de inscrição, em 9 de fevereiro.

Mas, importante: se a troca for entre blocos com exigência de escolaridade distinta (ensino médio para superior ou vice-versa), será necessário pagar novamente a taxa de inscrição, no valor de R$ 90 (para nível superior) ou R$ 60 (nível médio).

Confira os blocos disponíveis

CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

  1. Infraestrutura, Exatas e Engenharias (727 vagas)
  2. Tecnologia, Dados e Informação (597 vagas)
  3. Ambiental, Agrário e Biológicas (530 vagas)
  4. Trabalho e Saúde do Servidor (971 vagas)
  5. Educação, Saúde, Desenvolvimento Social e Direitos Humanos (1.016 vagas)
  6. Setores Econômicos e Regulação (359 vagas)
  7. Gestão Governamental e Administração Pública (1.748 vagas)
  8. Nível Intermediário (692 vagas)

Faça o ranking dos cargos

O segundo passo é ranquear os cargos de interesse. Se desejar, o profissional poderá se candidatar a todas as posições disponíveis num mesmo bloco temático. Mas não será possível concorrer a cargos que façam parte de blocos diferentes — até porque as provas acontecerão simultaneamente, todas em 5 de maio.

Nos editais de cada bloco, que já estão disponíveis, é possível verificar o conteúdo programático exigido e os pesos válidos a cada uma das vagas. Essas informações ficam concentradas no Anexo IV dentro de cada edital.

Pedro Alves, do MGI, alerta, ainda, para as exigências acadêmicas: “Alguns cargos exigem formação específica, como médico, engenheiro civil e arquiteto. O candidato (sem o diploma exigido) até pode prestar e eventualmente passar na prova, mas não conseguirá tomar posse”.

Verifique se há isenção na taxa

Os profissionais que desejem solicitar isenção da taxa de inscrição (R$ 60 para nível médio e R$ 90 para superior) só poderão fazê-lo na primeira semana do prazo: de 19 a 26 de janeiro.

Têm direito ao benefício os inscritos no CadÚnico; doadores de medula óssea; bolsistas ou ex-bolsistas do ProUni; e pessoas que cursam ou cursaram faculdade financiados pelo Fies.

O resultado preliminar dos pedidos de isenção será divulgado em 29 de janeiro. Caso o pedido seja indeferido, será possível contestar até 30 de janeiro. Após esse período, não serão aceitos novos recursos./AE

Compartilhar Notícia