/Deixe de anestesiar a sua dor. Por Felipe Mota

Deixe de anestesiar a sua dor. Por Felipe Mota

Faaala leitores do meu Brasil baronil! E aí? Sobreviveram ao Carnaval? Ou nem viram a escola de samba passar?

Bem, seguindo o calendário litúrgico cristão estamos na Quaresma e muita gente aproveita o período pra se arrepender do que fez ou pensou em fazer no Carnaval e tentar mudar de hábitos. E eu com isso?

Pra mim, isso e um prato cheio para conversar diretamente com você! Que fase hein? Hoje vamos falar sobre as drogas que deixamos entrar na nossa vida, querendo ou não.

Agora, calma aí, não vou escrever um compêndio sobre álcool e drogas não, vamos falar de emoções e situações que causam tanto dano à nossa vida quanto essas coisinhas aí de cima!

Nesse período até agora, você fez muita besteira? Agiu sem pensar? Magoou alguém que ama? Ou alguém que nem conhece? Fofocou tanto que a língua 👅 ficou malhada? Ou só deu aquele gelinho maroto porque, no final, você nem se importa mesmo com aquele ser humano aí do seu lado? Desrespeitou a intimidade e a dignidade de alguém? – aff doutorr, você tá pegando pesado agora neh? – tá bom eu já sei – meu corpo minhas regras 🙄- e minhas emoções, pensamentos onde ficam nessa máxima tão já difundida atualmente?

Eu digo! Não vejo meus queridos com tanto cuidado assim e, é aí que mora o perigo!
Você sabia que o corpo fala? E sabe como ele se comunica com você e com o mundo? Dando sinais. O que chamamos de somatização, quando você apresenta uma treta interna tão grande que o corpo começa a pifar, literalmente. Dores em toda parte, enjoos, desmaios, mudança de comportamento e ate vontade de se isolar.

E você sabe onde vai chegar assim? Depressão, ansiedade, ou ficar pulando de médico em médico, até nas emergências, sem saber o que tem ou como resolver o problema.
— Certo doutor, já conseguiu minha atenção e agora o que eu faço? Vou listar aqui um passo-a-passo inicial sobre o que fazer:

1 – Conecte-se consigo mesmo – Hoje vivemos em uma era digital de infinitas conexões na internet, nada contra, mas vejo o movimento contrário quando falamos da conexão com nosso propósito de vida, nossas emoções e com quem somos. Então, que tal gastar um pouco de tempo consigo mesmo? Se curtindo, só você com sua companhia. Se isso parecer ruim pra você, então siga para o passo 2.
2 – Meditação: Mindfulness, como queira. Quem já ouviu falar nisso pula pro passo 3, quem não, siga-me os bons!
Meditar e desenvolver atenção plena, isolar-se dos ruídos externos e internos para perceber que as respostas que você busca estão dentro de si. A paz, a serenidade e até a tal da felicidade também.
– Como faço isso? Bem, que tal buscar ajuda? Joga no google, conversa com alguém sobre o assunto ou procura aquele amigo “ diferentão” que já falou que medita e tenta com ele. A dica inicial é: concentrar na respiração. Vou escrever um texto só sobre isso no futuro, por ora, isso é suficiente.
3- Observe sua linguagem: Quais palavras você utiliza mais ao longo do dia? Elas transmitem quais sentimentos? Positivos ou negativos? Suas atitudes perante a vida? Como estão? E se eu te dissesse que existe uma escolha? Procure adotar para si palavras positivas, comece com um bom dia, como você está, olhando nos olhos do próximo.
4- Fale sobre suas emoções. Será se você não tem aquele “eu te amo” entalado no peito doido pra sair? Será se você não poderia falar mais tranquilamente o que sente? Ou como se sente a respeito do que acontece com sua vida? Pra que esse sufocamento todo? Aposto que o fará se sentir melhor, mas só se lembre de avaliar se a pessoa ou o ambiente estão seguros para isso. Um dica dentro da dica é: procure um momento tranquilo e pergunte ao próximo se ele poderia lhe ouvir brevemente.

Acredito que um dos motivos para o uso de tanta substancia nociva como álcool e outras drogas é porque muitos querem anestesiar a dor, o sofrer, ou abafar aquilo que está entalado no peito, e aí a gente culpa a bebida etc etc, e que tal fazermos diferente?

Essa é minha reflexão para você. Espero que tenha sido proveitosa a leitura como foi pra mim escrevê-la.

Comenta aqui comigo como você tá se sentindo nesse pôs-carnaval, promessas que se fez ou marca aquela pessoa que precisa desse pequeno toque aqui nos comentários.

Um forte abraço e ate a próxima 👋🏻

*Dr Felipe Mota é médico, palestrante e colunista quinzenal do Ceará Notícias, atualmente está atendendo em Nova Russas, maiores informações com o contato do consultório (88) 99817-1978. Visite sua página no Insta @felipsmota

Comente com Facebook