Concurso Nacional Unificado: edital sai nesta 4ª (10/1); veja detalhes

3 Min. de Leitura

O edital do Concurso Nacional Unificado (CNU), apelidado de “Enem dos Concursos”, será divulgado nesta quarta-feira (10/1), em publicação no Diário Oficial da União (DOU). O Concurso Unificado aproveita experiências do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que seleciona estudantes para instituições de educação superior e é considerado um case de sucesso pelo alcance e tempo de aplicação no país.

O edital trará as regras para realização do certame, com informações sobre os blocos temáticos, conteúdos das provas, critérios de classificação e desclassificação, lista de espera, cadastro de reserva, validade do certame e composição das notas finais.

Ao todo, 21 órgãos e entidades aderiram ao CNU, com o total de 6.640 vagas. A concorrência deverá ser elevada  segundo estimativa da pasta apresentada em dezembro, são esperados 5 milhões de candidatos.

A banca responsável pela aplicação das provas é a Fundação Cesgranrio, que possui histórico na organização de concursos públicos.

Veja as datas previstas:

  • Período de inscrições: de 19 de janeiro até 9 de fevereiro.
  • Aplicação das provas: 5 de maio.

A aplicação ocorrerá em um domingo em 220 cidades de todo o Brasil, segundo estipulado pelo Ministério da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos. Inicialmente, o governo pensava em aplicar as provas em 180 municípios, mas o número foi ampliado para garantir que regiões metropolitanas tenham provas em mais de uma cidade.

Há expectativa de que, a depender do resultado do certame de 2024, outras edições do Concurso Unificado sejam realizadas entre 2025 e 2026.

Edital confirmará vagas e salários

O maior salário inicial do CNU chega a R$ 23 mil, para 900 novos auditores-fiscais do trabalho. A menor remuneração gira em torno de R$ 5.488,70 e R$ 6.255,90, com 300 vagas para analistas técnico-administrativos.

A prova única do CNU será dividida em dois momentos na mesma data:

  1. provas gerais e objetivas, com matriz comum a todos os candidatos; e
  2. provas específicas e dissertativas, por blocos temáticos.

As áreas de atuação anunciadas até o momento são:

  • administração e finanças;
  • setores econômicos, infraestrutura e regulação;
  • agricultura, meio ambiente e desenvolvimento agrário;
  • educação, ciência, tecnologia e inovação;
  • políticas sociais, justiça e saúde;
  • trabalho e previdência; e
  • dados, tecnologia e informação pública, além do nível intermediário/ Metrópoles

(Foto reprodução)

Compartilhar Notícia