Como a popularidade do governo Lula chega ao final de 2023? Veja o que dizem as principais pesquisas

9 Min. de Leitura

O primeiro ano do terceiro mandato do presidente Luiz Inácio Lula da Silva chega no fim com um aumento da avaliação negativa da sua gestão na Presidência da República. Os principais institutos de pesquisa atestaram que, ainda que a aprovação ainda seja maior na maioria dos casos, a rejeição do petista aumentou, se aproximando dos índices positivos, que registraram reduções.

Nesta quarta-feira, 20, a nova pesquisa da Genial/Quaest atestou que o governo Lula fechará o ano de 2023 com uma queda na avaliação positiva. O instituto também perguntou aos eleitores qual a nota de 0 a 10 que eles dariam para o primeiro ano do governo Lula. A avaliação geral dos eleitores foi de 5,7.

Outra pesquisa divulgada nesta quarta foi a da PoderData, que levantou que Lula perdeu apoio entre grupos que garantiram a vantagem do petista nas eleições de 2022. O índice de aprovação caiu entre as mulheres e os mais pobres, aqueles que recebem até dois salários mínimos e os que estão desempregados.

As pesquisas elencaram alguns temas que poderiam ter colaborado para o aumento da rejeição ao presidente. Segundo a Quaest, as críticas ao petista mais citadas foram a alta frequência de viagens internacionais e o fato do presidente não ter classificado o Hamas como um grupo terrorista desde o início da guerra contra Israel.

O Ipec mostrou ainda que quase a metade dos eleitores não confiam em Lula e o Datafolha estimou que 40% dos brasileiros não confiam nas declarações do petista. A Atlas/Intel, por sua vez, atestou que os piores índices do governo estão no combate à corrupção e a segurança pública.

Veja as taxas de aprovação e de reprovação do governo Lula segundo a Quaest, Poder Data, Datafolha, Ipec, Atlas/Intel e CNT:

Veja a aprovação de Lula segundo os principais institutos de pesquisa

Governo Lula fechará o ano de 2023 com tendência de queda na avaliação positiva, segundo Genial/Quaest

Segundo a pesquisa Genial/Quaest divulgada nesta quarta-feira, 20, Lula vai encerrar o ano de 2023 com uma tendência de queda em seu índice de aprovação. A avaliação positiva da gestão do petista oscilou de 38% para 36%, em comparação ao levantamento anterior feito pelo instituto em outubro. Se comparado com os resultados de agosto, no entanto, quando o mandato de Lula teve sua melhor aprovação do ano a queda foi de 6%.

A reprovação do presidente se manteve em 29% no intervalo entre outubro e dezembro, mas aumentou 5% em comparação com agosto. 32% consideraram o mandato regular e 3% não souberam ou não responderam.

A margem de erro que é de 2,2 pontos percentuais. Foram feitas 2.012 entrevistas entre 14 e 18 de dezembro e o índice de confiança é de 95%.

Aprovação do governo diminuiu seis pontos percentuais do início até o fim do ano, segundo o PoderData

Outro levantamento que foi divulgado nesta quarta-feira, 20, foi a do PoderData, que estimou que a aprovação ao governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é de 46%, enquanto que a desaprovação é de 44%. A taxa positiva e negativa estão empatadas na margem de erro, que é de dois pontos percentuais.

A aprovação de Lula chegou ao menor índice apurado pelo PoderData desde janeiro. No início do mandato, as avaliações positivas eram de 52%, mas diminuiu em seis pontos percentuais no mês de dezembro. Já a desaprovação, que era de 39%, subiu para 44%, em um crescimento de cinco pontos percentuais. Foram feitas 2,5 mil entrevistas por telefone em 244 municípios nas 27 unidades da federação. O intervalo de confiança de 95%.

O instituto não mediu a aprovação por ótimo/bom, regular ou ruim/péssimo.

Ipec registrou aumento da avaliação negativa de Lula

No último dia 7 de dezembro, o Ipec divulgou uma pesquisa que mostrou que a avaliação negativa do petista cresceu de 25%, em setembro, para 30%. Já a aprovação de Lula diminuiu de 40% para 38%. O número dos que consideram a sua gestão regular também oscilou para baixo de 32% para 30%.

Com exceção do aumento na rejeição em 5%, as outras variações ficaram dentro da margem de erro, que foi de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

O Ipec também apontou que 48% dos entrevistados confiam no presidente, enquanto 50% não confiam. Além disso, 35% disseram que o atual governo está sendo pior do que esperavam, 32% disseram que é melhor e 30% disseram que é igual.

Datafolha registrou estabilidade em popularidade do petista

Também no dia 7, a pesquisa do Datafolha registrou uma estabilidade na popularidade do petista. A sua aprovação que, em setembro, era de 38%, manteve-se no mesmo número. Já a sua reprovação oscilou de 31% para 30%, dentro da margem de erro que foi de dois pontos percentuais. Já os que consideram o governo regular foi estimado em 30%, mesmo número do levantamento anterior. O Datafolha ouviu 2.004 pessoas em 135 cidades do País no último dia 5.

O Datafolha estimou que o grupo que mais aprova o presidente são os moradores do Nordeste (48%) e pessoas com menor escolaridade (50%). Já a reprovação é maior entre os mais escolarizados (39%), e os que ganham mais de 10 salários mínimos (47%).

Segundo o instituto de pesquisas, 40% dos brasileiros nunca confiam nas declarações do petista. Outros 35% acreditam às vezes. Os que confiam sempre nas declarações do chefe do Executivo são minoria, 24%.

O nível de não confiabilidade nas declarações do presidente, ao final do primeiro ano de governo, é semelhante aos 43% que o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) atingiu em dezembro de 2019, quando estava terminando o ano de estreia no Planalto. À época, 19% confiavam sempre no que ele dizia, enquanto 37%, apenas às vezes.

Reprovação ultrapassa aprovação do presidente, segundo Atlas/Intel

No final de novembro, um levantamento da Atlas/Intel registrou que, pela primeira vez, a reprovação de Lula ultrapassou sua aprovação. Para 45,1%, a gestão é ruim ou péssima. Outros 42,7% veem o governo como ótimo ou bom. Para 10,7%, a gestão do presidente é regular, enquanto 1,4% declaram não saber.

Na pesquisa de avaliação feita anteriormente pelo Instituto, em setembro, 44% dos entrevistados consideravam a gestão ótima ou boa e 42% disseram que o mandato petista é ruim ou péssimo. As variações superaram a margem de erro, que foi de um ponto percentual para mais ou para menos. A amostra contou com a participação digital de 5.211 pessoas entre 17 e 20 de novembro e o nível de confiança é de 95%.

Percepção positiva sobre gestão de Lula diminuiu, de acordo com o CNT/MDA

No dia 3 de outubro, o instituto CNT/MDA divulgou um estudo que mostrou que o governo Lula é avaliado como ótimo ou bom por 40,6%, enquanto 27,2% analisam a gestão como ruim ou péssima. Outros 30,1% acreditam que o governo é regular. A CNT/MDA entrevistou 2.002 pessoas em todo Brasil. A margem de erro é de 2,2 pontos porcentuais, com intervalo de confiança de 95%.

A avaliação negativa aumentou em relação ao levantamento anterior, realizado em maio. Nesse levantamento, 43,1% dos entrevistados avaliavam como ótimo ou bom o mandato do petista, enquanto 24,6% possuíam percepção negativa sobre a gestão. A rejeição variou dentro da margem de erro./AE

(Foto reprodução)

Compartilhar Notícia