Ciro Gomes: uma crise institucional pode nos levar ao autoritarismo e ao fascismo

2 Min. de Leitura

A guera de liminares que travou o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), em relação a soltura do ex-presidente Lula, causou um grande mal estar no Judiciário. A ministra Cármem Lúcia teve que se pronunciar alertando para que as hierarquias fossem respeitadas. 

O presidenciável Ciro Gomes (PDT) usou sua página da rede social Facebook, para chamar a atenção dos perigos que o País corre em relação a uma crise institucional do Judiciário às vésperas de uma eleição. Ciro diz que decisões parciais elevam o grau de desconfiança da população em relação as instituições e isto põe em risco o processo democrático, podendo causar um dano ainda maior ao povo brasileiro, que segundo ele, podemos estar plantando as sementes do autoritarismo e do fascismo.

Confira nota na íntegra:

“Há muito tempo venho denunciando que o Brasil vive uma grave crise institucional que coloca em risco o Estado Democrático de Direito. O episódio que acompanhamos hoje de disputas de liminares sobre a soltura ou manutenção da prisão do ex-presidente Lula, é mais um capítulo triste para a nossa história recente. Uma crise no Judiciário contribui para elevar ainda mais a desconfiança da população nas instituições e na própria Democracia. Como advogado e professor de direito constitucional, me assusta ver que magistrados estão agindo de forma que se permita colocar em dúvida sua isenção e imparcialidade. É preciso, mais do que nunca, que todos coloquem a mão na consciência e reflitam sobre seus atos. Se ficarmos assistindo a tudo isso sem um mínimo de autocrítica, poderemos ver a crise brasileira semear o que há de pior: o autoritarismo e o fascismo.”

(Ciro Gomes)

Compartilhar Notícia