Ciro diz que não punição de Pazuello em ato político-partidário é “muito grave”

1 Min. de Leitura

O ex-ministro Ciro Gomes (PDT), presidenciável em 2022, disse que o fato da não punição do ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, por ter participado de ato político-partidário é “muito grave”.

É “muito grave” e ressaltou que o regulamento disciplinar das Forças Armadas é muito claro quanto a manifestações partidárias de militares da  ativa.

“Sob que ótica, então, senão a do estímulo à anarquia e a da quebra da ordem institucional, o comando da força fecha os olhos a tal atitude?”, publicou ele no Twitter. “Vivemos hoje um dia anti-histórico. Que clama reflexão, atenção e repúdio das forças vivas da nação”.

Em outro momento Ciro chama a atenção para as restrições dos militares no processo político. ” Militar não faz política, não sobe em palanque no regime republicano”, enfatiza o ex-ministro.

Desde o início do governo Bolsonaro, Ciro tem se colocado contrário à participação de militares da ativa na gestão. Segundo ele, o Congresso deveria legislar a respeito, vetando esse tipo de nomeação.

Nenhuma descrição disponível.

Compartilhar Notícia