Cid Gomes diz que decisões tomadas no PDT são do “tempo da ditadura”

2 Min. de Leitura

Na tarde desta quinta-feira (9/11), após participar da 26ª Conferência Nacional da União Nacional dos Legisladores e Legislativos Estaduais (Unale), o seneador Cid Gomes (PDT) falou com a imprensa sobre a decisão da Executiva Nacional do PDT que confirmou a intervanção do partido no estado do Ceará e destituiu o senador da presidência estadual da sigla no estado.

Cid diz que as decisões que estão sendo tomadas não são democráticas e que deixou de respeitar as principais lideranças da legenda por conta das atitudes tomadas. “Para mim, agora não há mais diálogo com a direção nacional. Se o Lupi me ligar agora, eu não atendo, porque eu não o respeito mais. Se o André me ligar, eu não atendo, porque não o respeito mais. Eles não são democratas, eles não têm a menor noção do que é democracia”, disse o senador.

Cid concluiu ainda dizendo que as decisões que são tomadas no partido remetem ao “tempo da ditadura”, sem transparência, sem obedecer aos ritos legais, e que o palco para julgamento dessas questões é a Justiça. “Então, qualquer medida autoritária que aconteça nós recorreremos à Justiça”, concluiu o senador.

Em reunião nesta quinta, o PDT Nacional decidiu intervir no Diretório estadual e destituir do comando o senador Cid Gomes. A reunião foi comandada pelo presidente interino da legenda, deputado federal, André Figueiredo. A Execitiva confirmou que o partido será comandado no estado até 31 de dezembro pelo ex-senador Flávio Torres durante a intervenção da sigla no Ceará.

Compartilhar Notícia