Cerca de 50 prefeitos podem deixar o PDT no Ceará

2 Min. de Leitura

O clima de guerra estabelecido no PDT Ceará, com acusações de “traição” do grupo liderado pelo ex-ministro e ex-governador do Ceará, Ciro Gomes e pelo presidente interino da legenda, deputado federal André Figueiredo e acusação de “perseguição” sofrida pelo grupo de parlamentares lideredados pelo senador Cid Gomes, deve levar cerca de 50 prefeitos do Ceará a deixar a legenda no estado.

Na reunião desta quarta-feira (8/11) ficou decidido, por unanimidade, pelo Diretório estadual do PDT que os parlamentares irão pedir individualmente suas cartas de anuência para deixar o partido sem correr o risco de perder o mandato.

Com o rumo tomado por deputados e vereadores, os prefeitos que são os maiores interessados na eleição do próximo ano devem encaminhar seus pedidos de desfiliação da legenda, já que podem se desligar da agremiação a qualquer momento, por ocuparem cargos majoritários.Estima-se que cerca de 50 prefeitos ligados ao senador Cid Gomes podem deixar o partido no Ceará, pondera o líder do Governo, na Assembleia Legislativa do Ceará, deputado estadual Romeu Aldigueri (PDT). 

Ainda é cedo para definir nomes dos gestores que podem deixar o partido, mas, certamente serão aqueles ligados aos deputados estaduais e federais que já vem apoiando as decisões do senador Cid Gomes ao longo da crise do PDT Ceará. Os gestores tem até o mês de abril de 2024 para decidirem por qual sigla devem concorrer na eleição municipal do ano que vem.

Compartilhar Notícia