Ceará prorroga campanhas de vacinação contra influenza e sarampo para grupos prioritários até 24 de junho

3 Min. de Leitura

No Ceará, a 24ª Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza e a 8ª Campanha Nacional de Vacinação contra o Sarampo serão, simultaneamente, prorrogadas até 24 de junho de 2022. Ambas seguem obedecendo a cronogramas específicos e objetivam contemplar, pelo menos, 90% dos públicos prioritários para influenza e 95% para sarampo em crianças de seis meses a 4 anos, 11 meses e 29 dias.

Influenza

As unidades básicas de saúde (UBSs) seguem disponibilizando o imunobiológico para os respectivos públicos-alvo contemplados, dentre os quais estão incluídos idosos a partir de 60 anos, trabalhadores da Saúde, crianças a partir de seis meses e abaixo de cinco anos, gestantes, puérperas, pessoas com comorbidades e deficiências permanentes, além de povos indígenas, professores, caminhoneiros, trabalhadores do transporte coletivo e profissionais portuários. Compõem os grupos prioritários, ainda, membros das Forças de Segurança e Salvamento e das Forças Armadas, funcionários do Sistema de Privação de Liberdade, população privada de liberdade e jovens de 12 a 21 anos em medidas socioeducativas.

Administração simultânea com outras vacinas ou medicamentos

A vacina contra a influenza pode ser administrada na mesma ocasião de outros imunobiológicos do Calendário Nacional de Vacinação e, também, com outros medicamentos, sendo as administrações com seringas e agulhas diferentes em locais anatômicos distintos.

Sarampo

Contra o sarampo, a campanha segue contemplando trabalhadores da Saúde e crianças entre seis meses e 4 anos, 11 meses e 29 dias de idade.

“Apesar de o Ceará ter ultrapassado a média de vacinação no País contra o sarampo e acompanhar a média brasileira contra a influenza, ainda não alcançamos uma cobertura vacinal ideal para ambas as doenças. É importante, portanto, que a população pertencente aos públicos-alvo das campanhas procure uma unidade básica de saúde para atualizar a caderneta de vacinação. Em meio ao atual período de chuvas, que favorece o surgimento e/ou agravamento de síndromes respiratórias, é fundamental minimizar o risco de adoecimento“, afirma Sarah Mendes, secretária executiva de Vigilância e Regulação da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa).


Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o sarampo tem circulado livremente entre as Américas. No Brasil, alguns estados registraram surto da doença infecciosa grave. Prevenível por vacinação, a patologia pode apresentar os seguintes sintomas: febre acompanhada de tosse, irritação nos olhos, coriza nasal, além de mal-estar intenso. Em torno de três a cinco dias, podem aparecer outros sinais, como manchas vermelhas no rosto e atrás das orelhas que se espalham pelo corpo.

Crianças com idade até 5 anos são mais suscetíveis às manifestações mais agudas. A exemplo da influenza, a transmissão do sarampo ocorre quando a pessoa doente tosse, fala, espirra ou respira próxima de outras./Sesa

 

Compartilhar Notícia