/Brasil joga mal e só empata em 1 a 1 com o Panamá. Paquetá, com a 10, faz seu 1º gol

Brasil joga mal e só empata em 1 a 1 com o Panamá. Paquetá, com a 10, faz seu 1º gol

O Brasil jogou mal e ficou no empate por 1 a 1 com o Panamá neste sábado, no Porto. Tite disse na véspera que sua maior preocupação era com o processo criativo da Seleção. Deve continuar sendo. Contra um adversário que surpreendeu ao marcar no 5-4-1, e não no 4-4-2, como era esperado, a equipe foi lenta e previsível. Paquetá marcou seu primeiro gol com a camisa amarela, mas Machado empatou, em impedimento, pouco depois. Coutinho, maior estrela na ausência de Neymar, jogou mal tanto pelo lado como centralizado. Tite precisa cogitar alternativas individuais e coletivas, já que a Copa América está às portas. A convocação será feita em maio e o torneio começa dia 14 de junho, contra a Bolívia, no Morumbi.

O Brasil ficou quase todo o tempo com a bola diante de um adversário bem fechado e pouco a fim de atacar. Foram necessárias movimentações para vencer a retranca. Quando Fagner se posicionou aberto e Richarlison se juntou a Firmino na área, Casemiro teve liberdade para receber mais adiantado e cruzar para o chute preciso de Paquetá, de canhota. O meia do Milan havia acabado de trocar de posição com Coutinho, que, novamente, ficou bem abaixo da expectativa. A tendência seria o Brasil deslanchar, mas uma desatenção da zaga e do assistente Bruno Rodrigues permitiram que Machado, impedido, empatasse de cabeça num raríssimo assanhamento panamenho.

Apesar de duas bolas no travessão, de Casemiro e Richarlison, o Brasil teve apresentação muito pobre no segundo tempo. Desorganizado, mal conseguiu impor uma pressão forte. As entradas de Everton e Gabriel Jesus não melhoraram o ataque, e o único caminho parecia ser na marra, na força de Richarlison tentando passar por cima – às vezes literalmente – dos marcadores. Coutinho ficou em campo o tempo todo. Firmino e Paquetá, que pareciam ler melhor o jogo, saíram. Não pareceu a melhor opção. No fim, por pouco o Panamá não saiu com um resultado ainda mais histórico, já que o chute de Fajardo acertou a rede do lado de fora.

Tite já havia dito que mexeria na equipe para o próximo amistoso, terça-feira, contra a República Tcheca. Pelo menos seis alterações devem ser feitas. O time terá apenas dois treinos, domingo e segunda-feira. A linha defensiva, o menor dos problemas diante do Panamá, deverá ser inteiramente modificada.

Com as ausências de Neymar (machucado) e Marquinhos (no banco), Arthur e Richarlison passaram a ser os únicos jogadores a terem atuado em todos os amistosos da seleção brasileira depois da Copa do Mundo. Já foram sete.
Na próxima terça-feira, o Brasil enfrentará a República Tcheca, em Praga, às 16h45 (horário de Brasília). Será o último amistoso antes da convocação para a Copa América. A lista de 23 jogadores vai ser anunciada no início da segunda quinzena.
39.410 pessoas estiveram no estádio do Dragão para o empate entre Brasil e Panamá – Neymar, no camarote, entre elas. A maioria absoluta de brasileiros saiu de campo bastante decepcionada com a atuação da Seleção.
Foi a primeira vez em cinco oportunidades que o Panamá não saiu de campo derrotado contra o Brasil – o que explica o momento de união e celebração após o apito final. Até hoje foram quatro jogos, com quatro vitórias para a Seleção, 16 gols pró e nenhum contra./ge

Comente com Facebook