Ataque a tiros em escola de São Paulo deixa uma aluna morta e três feridos

5 Min. de Leitura

Um ataque com arma de fogo deixou uma aluna morta e duas pessoas feridas na Escola Estadual Sapopemba, no Jardim Sapopemba, na zona leste de São Paulo, na manhã desta segunda (23/10).

De acordo com informações preliminares da Polícia Militar, por volta das 7h30, uma pessoa entrou no colégio e efetuou diversos disparos.

O atirador é aluno da escola e tem 16 anos. Ele seria vítima frequente de bullying por parte dos colegas da escola.

Os três feridos foram socorridos ao pronto-socorro do Hospital Sapopemba. A aluna foi atingida por um disparo na cabeça. Outras duas pessoas tiveram ferimentos no ombro e no tórax. O estado de saúde delas ainda não foi divulgado.

O atirador foi detido por equipes da Polícia Militar e levado ao 70º DP (Sapopemba). Ainda não há informações da identidade do atirador ou a motivação do crime.

Dezenas de viaturas da PM, do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e do Corpo de Bombeiros estão na região.

O governo Tarcísio de Freitas (Republicanos) lamentou o episódio.

“O Governo de SP lamenta profundamente e se solidariza com as famílias das vítimas do ataque ocorrido na manhã desta segunda-feira (23) na Escola Estadual Sapopemba. Nesse momento, a prioridade é o atendimento às vítimas e apoio psicológico aos alunos, profissionais da educação e familiares”, informou em nota.

“Durante o ataque a tiros, três alunos foram atingidos. Uma aluna morreu e outros três feridos estão sendo atendidos no Hospital Geral de Sapopemba, sendo um deles que se machucou ao tentar fugir durante o ataque. A Polícia Militar foi acionada e apreendeu o autor dos disparos e a arma utilizada por ele”, informou o governo.

Segundo assessoria, mais informações sobre o estado de saúde das vítimas e investigação do ataque serão divulgadas em breve.

No último dia 10, um ataque a Escola Profissional Dom Bosco, em Poços de Caldas, no sul de Minas Gerais, deixou um estudante de 14 anos morto e outros três feridos. O ataque foi realizado por um ex-aluno do colégio, que utilizou uma faca na ação.

O crime aconteceu no horário de saída de alunos. Segundo policiais, o autor do ataque teria afirmado que aproveitou a movimentação de estudantes e pais no local e saiu “esfaqueando aleatoriamente”.

Ele disse à Polícia Militar que buscava vingança por ter sofrido bullying enquanto estudava na instituição.

OUTROS ATAQUES

Em 19 de junho, um ataque a tiros no Colégio Estadual Professora Helena Kolody, em Cambé, no norte do Paraná, deixou dois alunos mortos —um casal de adolescentes.

O autor do ataque era um ex-aluno de 21 anos. Ele foi encontrado morto dias depois na prisão.

Na manhã de 5 de abril, um homem de 25 anos invadiu a creche Cantinho Bom Pastor, em Blumenau (SC), e matou quatro crianças. As vítimas são três meninos e uma menina, com idade entre 5 e 7 anos. Uma machadinha e um canivete foram usados na ação, segundo o tenente Márcio Filippi, comandante do 10º BPM (Batalhão da Polícia Militar).

Conforme a apuração, o assassino chegou à escola em uma moto, pulou o muro e escolheu as vítimas aleatoriamente. Ao perceber que as professoras correram para proteger as demais crianças, ele tentou fugir pulando novamente o muro. Em seguida, se entregou.

Em 27 de março, a professora de ciências Elisabeth Tenreiro, 71, foi morta em um ataque na escola estadual Thomazia Montoro, na Vila Sônia, zona oeste de São Paulo. Ela era descrita como apaixonada pelas filhas e pelos netos. Um aluno de 13 anos a atacou com uma faca pelas costas.

O agressor também feriu dois alunos e outras três professoras. O adolescente, que era aluno do 8º ano do ensino fundamental na escola, foi apreendido./ Folha SP

Foto: Reprodução/Google

Compartilhar Notícia