/Assim como em 2018, o Paulistão conta com 16 times. Eles foram divididos em quatro grupos e todos jogarão contra as equipes das outras chaves, totalizando 15 rodadas. Passam às quartas de final os dois primeiros colocados de cada grupo, que se enfrentarão em um duelo de ida e volta pela vaga na semifinal. Esta fase e a grande decisão também serão disputadas em duas partidas. Os pontos serão acumulativos e continuarão a ser contabilizados na fase de mata-mata para definir a ordem do mando de campo até a final. Com relação ao rebaixamento, tudo igual a 2018 – os dois piores clubes na classificação geral, independente do grupo, cairão à Série A2 em 2020. Esta edição terá de novo a disputa do Campeão do Interior. Os seis clubes que não se classificarem para as quartas de final e não forem rebaixados, excluindo os times da capital e o Santos, brigarão pelo troféu. NOVIDADE Depois da polêmica final do ano passado entre Palmeiras e Corinthians, na qual o time alviverde reclamou muito de interferência externa na arbitragem, o que terá de novo no Paulistão é a utilização do VAR, o árbitro de vídeo. A Federação Paulista de Futebol (FPF) confirmou que a tecnologia será usada a partir das quartas de final, com os custos – de cerca de R$ 30 mil por jogo – bancados pela entidade. Mais enxuto e apertado, o Paulistão começará com a expectativa de equilíbrio de forças. O favoritismo, no entanto, continua com os quatro grandes clubes do Estado: Corinthians, São Paulo, Palmeiras e Santos. E isso não é por acaso. Em 116 anos de história, somente em cinco oportunidades a taça estadual ficou com uma equipe de fora das cidades de São Paulo e Santos.

Assim como em 2018, o Paulistão conta com 16 times. Eles foram divididos em quatro grupos e todos jogarão contra as equipes das outras chaves, totalizando 15 rodadas. Passam às quartas de final os dois primeiros colocados de cada grupo, que se enfrentarão em um duelo de ida e volta pela vaga na semifinal. Esta fase e a grande decisão também serão disputadas em duas partidas. Os pontos serão acumulativos e continuarão a ser contabilizados na fase de mata-mata para definir a ordem do mando de campo até a final. Com relação ao rebaixamento, tudo igual a 2018 – os dois piores clubes na classificação geral, independente do grupo, cairão à Série A2 em 2020. Esta edição terá de novo a disputa do Campeão do Interior. Os seis clubes que não se classificarem para as quartas de final e não forem rebaixados, excluindo os times da capital e o Santos, brigarão pelo troféu. NOVIDADE Depois da polêmica final do ano passado entre Palmeiras e Corinthians, na qual o time alviverde reclamou muito de interferência externa na arbitragem, o que terá de novo no Paulistão é a utilização do VAR, o árbitro de vídeo. A Federação Paulista de Futebol (FPF) confirmou que a tecnologia será usada a partir das quartas de final, com os custos – de cerca de R$ 30 mil por jogo – bancados pela entidade. Mais enxuto e apertado, o Paulistão começará com a expectativa de equilíbrio de forças. O favoritismo, no entanto, continua com os quatro grandes clubes do Estado: Corinthians, São Paulo, Palmeiras e Santos. E isso não é por acaso. Em 116 anos de história, somente em cinco oportunidades a taça estadual ficou com uma equipe de fora das cidades de São Paulo e Santos.

No primeiro tempo, o Ceará começou ditando o ritmo de jogo e com as melhores oportunidades. Aos 21, Ricardo Bueno arriscou em um chutaço e quase marcou o primeiro. Aos 34, o mesmo atacante recebeu de Vitor Feijão e bateu forte com perigo. Ficou com Felipe Baxola a responsabilidade de marcar o primeiro gol do Ceará no ano. E foi um golaço, ele tirou da marcação e meteu no fundo das redes

Aos 6 minutos, Samuel Xavier avançou pela direita, cruzou para a área eo camisa 7 do Ceará Vitor Feijão colocou a bola no fundo do gol. Ricardinho foi o autor do terceiro gol, na saída de Rodrigo Santos. E ainda deu tempo para, no fim, Ricardo Bueno balançar as redes por duas vezes, aos 43 e aos 46. Foi uma estreia que animou o torcedor na Arena Castelão

Com o resultado, o Ceará é líder no Grupo B com três pontos, seguido pelo ABC. E o Sampaio Corrêa está na lanterna do Grupo A

O Sampaio Corrêa encontra o Confiança no próximo sábado (26), às 16 horas, no Castelão-MA. O Ceará encara o CRB no Rei Pelé no sábado (26), às 18h30

O Ceará fez uma estreia de encher os olhos do torcedor na Arena Castelão. Cinco gols contra o Sampaio Corrêa, marcados por Felipe, Vitor Feijão, Ricardinho e Ricardo Bueno, duas vezes. O Sampaio não marcou contra o Vovô, que teve Diogo Silva e não Everson na meta. Com o resultado, o Vovô é líder do Grupo B./ge

 

Comente com Facebook