/Em Cajazeiras-PB, Ciro aponta falhas do governo Bolsonaro e questiona posição de Lula

Em Cajazeiras-PB, Ciro aponta falhas do governo Bolsonaro e questiona posição de Lula

O presidenciável do PDT, Ciro Gomes, fez palestra nesta segunda-feira(18/11), às 20h, na faculdade de direito São Francisco, em Cajazeiras no Estado da Paraíba.

Ciro Gomes foi aplaudido de pé pelos presentes e chegou a se emocionar no início do evento com a recepção dos estudantes, ao ser chamado para abrir o I CONINFI – Congresso Internacional Interdisciplinar.

O palestrante falou sobre economia nacional e internacional, história, e as discussões acerca da política nacional como consequência para todo os municípios da federação, com apresentação de números acerca de violência, da seca no semiárido nordestino, de desemprego e quais os motivos que o país parou de crescer.

“Os brasileiros nesse governo estão vivendo o maior colapso de crédito popular da história. 63 milhões estão com nomes sujos no SPC. A crise é grave e sem precedentes, pois as pequenas empresas também estão quebrando. São 220 mil pontos de comércios fechados fechados ultimamente. Bolsonaro e seu governo, só em São Paulo, ajudaram a fechar milhares de empresas”, criticou Ciro Gomes.

CIRO SOBRE LULA

Em entrevista ao diário do Sertão questionou o papel do ex-presidente Lula no atual cenário político do País.

Para o pedetista, Lula engana o povo de “boa fé” ao explorar que a sua soltura seria uma absolvição dos processos que responde.

“Lula não foi absolvido como está deixando a população entender. Não está autorizando ainda a ser candidato. Ele passou simplesmente responder em liberdade aos recursos que têm. Continua sem poder ser candidato e está repetindo o mesmo filme de 2018. Existindo ser candidato sem poder ser, para depois fazer uma fraude, explorando a boa fé que o nosso povo tem”, disse Ciro, em entrevista ao Diário do Sertão.

Sem o apoio do PT nas eleições de 2018, que optou por candidatura própria, Ciro endossa críticas a Lula a cada entrevista.

“O Lula para mim não é uma figura que a gente conhece pela televisão, é um velho amigo de 35 anos. Já fomos adversários eleitorais, mas sempre construímos uma relação de muito respeito e de carinho. Mas nesse momento eu não tenho muito mais apreço político pelo Lula. Meu respeito pessoal continua. Eu interpreto o sentimento de gratidão de muitos nordestinos. Mas nesse momento, Lula está repetindo o filme que fez muito mal ao Brasil”, afirmou.

Ciro Gomes culpou Lula pela radicalização no debate político do país. “A população brasileira olha para a política e não vê um debate sério sobre seus problemas e soluções, o que ela vê é a radicalização, é a paixão, o ódio. O Bolsonaro pode andar pelado na rua, bater na mãe, o bolsominion relativiza e defende; e as escolhas do Lula têm sido trágicas. Se a gente não tiver humildade para entender, a gente simplesmente vai deixar esse imenso barulho de ódios e paixões levar o Brasil para o fundo do poço”, disse.

Comente com Facebook