/Censo Demográfico visita 3 milhões de casas no Ceará a partir desta segunda (1º); saiba como identificar recenseadores

Censo Demográfico visita 3 milhões de casas no Ceará a partir desta segunda (1º); saiba como identificar recenseadores

Compartilhe!

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) inicia, nesta segunda-feira (1º), o Censo Demográfico 2022. No Ceará, 7.348 recenseadores foram treinados para a realização do trabalho, dos quais 2.269 atuarão apenas em Fortaleza.

Segundo o chefe da unidade estadual do IBGE no Ceará, Francisco Lopes, os recenseadores visitarão cerca de 3 milhões de domicílios no estado. As visitas ocorrem a partir de 6h e vão até o período noturno, de domingo a domingo.

Nas visitas, os profissionais do IBGE fazem georreferenciamento dos domicílios logo após a chegada. Em seguida, o profissional se apresenta e informa o propósito da pesquisa, podendo aplicar dois modelos de questionário:

Comum, com 26 questões, com perguntas básicas, como nome, sexo, idade, escolaridade e questões referentes ao domicílio. Esse modelo é respondido em cerca de cinco minutos e aplicado em 90% das entrevistas.

Questionário do Dispositivo Móvel de Coleta (DMC), com 77 perguntas. Além dos questionamentos básicos, o modelo indaga informações sobre cor, religião, fecundidade, deficiência e outros aspectos da vida dos residentes. Dura cerca de 15 minutos e é aplicado em apenas 10% das visitas.

Além do questionário presencial, a população pode, ainda, responder às perguntas do IBGE por meio de telefone ou da internet. Nesse último caso, o recenseador gera um voucher, com uma senha a ser utilizada pelo participante em meio eletrônico.

Caso a pessoa não possa participar do Censo no momento da visita, ela pode, também, marcar novo horário de recebimento do recenseador no domicílio.

“Esse trabalho é importantíssimo para o país, para o estado, para a nação brasileira”, considerou o chefe estadual da instituição. “A gente conclama a população cearense a receber bem o recenseador do IBGE para fornecer os dados.”

Como identificar os recenseadores

Conforme a instituição, os entrevistadores sempre estão identificados pro crachá, com nome e matrícula. A identidade dos profissionais podem ser verificadas por meio da Central de Atendimento do IBGE ou de um formulário no site.

Em algumas localidades, os entrevistadores poderão usar colete e crachá com a identidade visual do IBGE. Caso haja falta de informação, o público pode solicitá-la ao entrevistador.

Pesquisa

Os profissionais do IBGE podem usar questionário em papel, notebook ou smartphone para realização da pesquisa. Os recenseadores não solicitam dados bancários dos participantes; caso isso ocorra, o fato deve ser reportado ao atendimento do órgão.

No entanto, algumas pesquisas do IBGE são coletadas diretamente por telefone, por meio do Centro de Entrevista Telefônica Assistida por Computador (Cetac). Além da aplicação de questionário, a abordagem telefônica pode abranger a supervisão da coleta e a atualização cadastral do informante, dependendo da pesquisa.

Ao fazer contato por telefone, o entrevistador deve se identificar, indicando nome, matrícula ou RG, ou CPF. Se o entrevistado considerar necessário, pode verificar os dados no site do IBGE.

O que é o Censo

O Censo Demográfico possibilita a contagem populacional do Brasil, além de fornecer dados sobre condições de vida, emprego, renda e acesso a serviços de saúde, educação, entre outros, por parte da população brasileira. Tais informações são utilizadas durante o desenvolvimento e implantação de políticas públicas, além da realização de investimentos públicos e privados.

Planejado para ocorrer a cada dez anos, a edição atual deveria ter sido realizada em 2020. No entanto, em razão da pandemia de Covid-19, foi adiado para 2021, mas foi suspenso no ano passado devido à falta de verba direcionada pelo Governo Federal.

Serviço

Em caso de dúvidas, a população pode acionar o IBGE pela Centro de Apoio ao Censo, no número 0800 721 8181. A ligação é gratuita./g1

 Foto: IBGE/Divulgação


Compartilhe!

Comente com Facebook