/Gestão financeira, permanência de Guto e fase do Vina: os trunfos na melhor campanha do Ceará

Gestão financeira, permanência de Guto e fase do Vina: os trunfos na melhor campanha do Ceará

Para o técnico Guto Ferreira, o grupo de jogadores é um dos melhores que trabalhou na carreira. Guto valorizou a entrega dos jogadores mesmo com todas as dificuldades, com dificuldades logísticas, menor investimento e menos experiência do plantel.

– Fazer uma campanha que fizemos da maneira que fizemos, da maneira que eles compraram a ideia, só tenho a agradecer a eles, o respeito, o profissionalismo, a entrega no dia a dia. Aprendi muito com eles. Eles me fizeram crescer como pessoa. De certa forma, a família que se formou. Todo mundo fala de família quando o ambiente é muito positivo e o nosso ambiente sempre foi o melhor. Pode-se dizer que a família Vozão é responsável por tudo isso.

O ambiente sempre foi o melhor possível. Todos têm oportunidade. A equipe nunca deixou de competir no melhor nível, no maior nível de competitividade. Os jogadores sempre se entregaram muito. Sempre entregaram o máximo que puderam. Isso é motivo de muito respeito a eles e de muita satisfação.

Desde março de 2020 no comando do time, Guto Ferreira disse que a consistência do trabalho foi possível também por sua manutenção no cargo, o que é inédito em sua carreira na Série A.

– Vou confessar uma situação aqui. Na Série B, eu comecei e terminei em alguns clubes. Na Série A, eu ainda não tinha começado e terminado. Em alguns momentos, porque eu resolvi sair. Em outros momentos, porque saíram comigo. Em termos de Série A, é o primeiro momento que a gente começa e termina uma competição.

Para que o Ceará conseguisse os objetivos da temporada, um dos principais personagens deste time foi o meia Vina. O jogador é um dos destaques do Campeonato Brasileiro. Líder em assistências da competição, com nove passes para gol, Vinícius Goes também aflorou seu lado goleador. Vivendo sua temporada mais artilheira da carreira, Vina já marcou 23 vezes em 2020/21, sendo 13 somente no Brasileirão. São ainda 19 assistências contando todas as competições da temporada. Uma participação direta de 42% nos gols do Ceará em 2020/21.

O Vina é muito brincalhão, eu sou mais tranquilo, na minha. Dentro de campo a gente consegue se entender bastante. Não precisa nem ficar falando muito, às vezes em um olhar a gente já se entende. Ele é um cara inteligente. O Vina é um grande jogador – destacou seu companheiro de time, o meia Lima.

Vinicius Moreira de Lima, o Lima, chegou no Ceará em 2019 e passou pela turbulência da edição passada quando o Vovô correu sérios riscos de rebaixamento. Um ano depois, o jogador avalia que conseguiu evoluir fisicamente e por isso também está contribuindo muito nos números da equipe. O camisa 45 já participou diretamente de 15% dos gols do Ceará na temporada, sendo nove gols e seis assistências. Assim como Vina, Lima vive sua temporada mais artilheira.

– Eu pensava que tinha que dar a volta por cima em relação ao ano retrasado, que foi muito complicado para nós. Como eu vim de um ano abaixo fisicamente, foi complicado para mim. Então, eu foquei bastante na minha parte física e sabia com a minha qualidade somada aos jogadores que tem aqui ia sobressair – pontuou Lima.

Especialista em tática, Leonardo Miranda, do blog Painel Tático do ge, analisou a maneira de jogar do Ceará de Guto Ferreira e destacou um ponto forte da equipe: a consistência defensiva. De acordo com o jornalista, o Vozão joga sempre no 4-2-3-1, mas sem a bola, se defende com duas linhas de quatro bem compactas e um detalhe que faz a diferença: a linha defensiva. Samuel Xavier, Tiago, Luiz Otávio e Bruno Pacheco foram os titulares absolutos da posição.

– Alyson, Luiz Otávio, Klaus e Samuel Xavier procuram ficar sempre no mesmo alinhamento, como se formassem um muro na área. Quem marca os lados são os pontas Lima e Léo Chu, destaques da boa campanha no Brasileiro. Já os volantes dão combate só de forma organizada: se Sobral vai cercar o adversário, Fabinho fica atrás.

– Tudo para preencher uma defesa que causa dificuldades e fez grandes jogos fora de casa, como contra o Flamengo, São Paulo e Goiás. A defesa por zona é algo muito treinado por Guto, que é da mesma escola de Mano Menezes, Tite e Enderson Moreira, entre outros – observa Miranda.

– Eu concordo plenamente com ele. Acho que nos momentos de crescimento nosso, em que estivemos mais sólidos na competição, isso vinha acontecendo. E nos momentos que nós oscilamos, você podia ver que eram momentos de desgastes muito grande, que a gente vinha com sequência muito grande e aí aconteciam erros individuais. Eu acho que a velocidade de transição nossa foi fator primordial – declarou o técnico Guto Ferreira.

O que está por trás deste bom momento do Ceará?

Executivo de futebol do Ceará, Jorge Macedo disse ao ge que esse momento do futebol do Vovô é fruto de um trabalho da boa gestão administrativa e financeira dentro do clube. Segundo o jornalista especialista em negócios do esporte Rodrigo Capelo, o Ceará é o time da Série A com a menor dívida, de aproximadamente R$ 12 milhões.

O problema, porém, é que o clube não estava tendo retornos esportivos satisfatórios. Em 2019, o time foi o primeiro fora da zona de rebaixamento e escapou por três pontos. Ao final do ano retrasado, o clube aprovou o maior orçamento de sua história com gastos de quase R$ 60 milhões para 2020. Com o capital, o Ceará já teve retornos satisfatórios em 2020, com a conquista da Copa do Nordeste e a boa campanha no Campeonato Brasileiro.

– Claro que a pandemia nos atrapalhou (financeiramente), mas como o Ceará é muito organizado, principalmente financeiramente, a gente conseguiu honrar com todos os compromissos. Para se ter uma ideia, a gente está com salário, imagem, tudo em dia. Coisa que dificilmente os outros clubes conseguem, mas a gente conseguiu estar – ressaltou Macedo.

– O futebol vinha remando nesses anos. Então, a gente começou a fazer um trabalho, em dezembro de 2019, já para poder fazer um investimento na equipe. Começamos a ir ao mercado com muita criatividade, usando nosso conhecimento somado ao trabalho de análise para montar essa equipe. Nós trouxemos diversos ativos que hoje são do clube.

Quando o executivo se refere aos ativos do clube, ele quer dizer que o Ceará passou a deter os direitos econômicos dos atletas. Até alguns anos, o clube tinha o elenco recheado de jogadores emprestados. No entanto, esse panorama mudou recentemente. Jogadores como Vina, Cléber, Luiz Otávio, Charles, dentre muitos outros pertencem ao Vovô. Por isso, uma futura venda pode ser benéfica aos cofres do clube.

– Eu acho que o momento em que se disputa outras competições, eu acho que o diferencial nosso vão ser esses ativos. Os jogadores são do clube. Antigamente, vinha muito jogador emprestado, jogador com contrato acabando que saíam de graça. Hoje não. Hoje temos esses ativos. Com esses jogadores, a gente vai conseguir fazer uma venda e fazer uma reposição, fazer um investimento maior no clube./ge

Comente com Facebook