/Vacina chinesa contra Covid-19 poderá ser aplicada no início de 2021

Vacina chinesa contra Covid-19 poderá ser aplicada no início de 2021

A vacina chinesa, chamada CoronaVac, uma das que estão em etapas mais avançadas no mundo contra o novo coronavírus, tem previsão para iniciar aplicação na população no início de 2021. É o que informou o presidente da farmacêutica chinesa Sinovac, Yin Weidong, nesta quinta-feira (24/09). As informações são do portal UOL.

De acordo com Yin, sua fábrica tem capacidade para produzir 300 milhões de doses anuais da vacina, disse durante visita aos laboratórios da fábrica da empresa em Pequim.

Para os brasileiros ansiosos pela dosagem, o governo de São Paulo especulou que até dezembro, o Estado tenha um estoque de 6 milhões de doses importadas, e destacou que a vacina do laboratório Sinovac tem segurança “excelente”.

CoronaVac

A empresa começou a construir uma fábrica específica em março para produzir essa vacina contra a Covid-19. A CoronaVac já está na fase 3 de testes em humanos.

No Brasil, os testes, sob responsabilidade do Instituto Butantan, começaram a ser feitos em julho e serão aplicados em 9 mil voluntários. A testagem foi organizada a partir de 12 centros de pesquisas, localizados em São Paulo, Brasília, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Paraná.

A CoronaVac tem 46 milhões de doses asseguradas no Brasil até dezembro e outras 16 milhões até o primeiro trimestre de 2021, informa Yin.

Além do Brasil, a vacina está sendo testada na Turquia, Bangladesh e Indonésia. Conforme o presidente da Sinovac, é melhor fazer os testes no exterior, já que na China a pandemia já está controlada e seria difícil comprovar a sua eficácia. Mas deixou a possibilidade da vacina ser fabricada em outros países.

Yin garantiu que os teste realizados na Fase 3 em maiores de 18 anos “não mostraram reações adversas especiais” e afirmou que sua vacina é capaz de “combater todas as cepas do coronavírus Sars-Cov-2 existentes no mundo”.

No último dia 9, a Sinovac anunciou os resultados dos testes da vacina nas fases 1 e 2. “Boa segurança e imunogenicidade” em adultos saudáveis com mais de 60 anos de idade, assim como em pessoas entre 18 e 59 anos, foi o que afirmou a empresa chinesa sobre os resultados da vacina.

Os níveis de anticorpos em pessoas com mais de 60 anos, segundo a empresa, eram ligeiramente inferiores aos que os encontrados em testes com uma população mais jovem. A empresa deseja garantir que a vacina possa ser aplicada em toda a população, assim como crianças e adolescentes, o que evitaria surto do vírus em escolas e creches.

(Cominformções/OPovo)

Comente com Facebook