/Camilo Santana assina memorando para instalação de refinaria de petróleo na Zona de Processamento de Exportação

Camilo Santana assina memorando para instalação de refinaria de petróleo na Zona de Processamento de Exportação

O Governo do Ceará entrou em entendimento com a companhia brasileira Noxis Energy para a instalação de uma refinaria de petróleo na Zona de Processamento de Exportação. O acordo para a implantação do projeto foi firmado em memorando assinado pelo governador Camilo Santana. O investimento tem valor estimado em R$ 4,240 bilhões, e deve gerar 150 empregos diretos e 3 mil indiretos.

“Sempre tivemos um objetivo de implantar no Ceará uma refinaria e uma siderúrgica. Em 2017 conseguimos abrir a Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP), formada pela brasileira Vale e as coreanas Dongkuk e Posco, um grande investimento de todas as partes”, acrescentou o governador, em nota. Segundo Camilo, a instalação da refinaria pela Noxis Energy será um investimento importante para o Ceará e a população cearense.

A empresa Noxis Energy fica sediada no Rio de Janeiro e atua na área de refino de petróleo com plantas, em processo de instalação em locais estratégicos ao longo da costa brasileira. De acordo com o Governo do Ceará, a refinaria de petróleo terá como principal produto o óleo combustível marítimo (bunker), com a capacidade de refino de 50 mil BBL/dia. Com a implantação concluída, a produção prevista é de 1.500.000 toneladas/ano de combustível, até 2025.

“Estar no Ceará é muito estratégico para a nossa empresa, pois o Estado apresenta condições favoráveis em posicionamento geográfico em um mercado com demanda significativa de derivados num raio de 200 km, instalações necessárias como o moderno Porto do Pecém, e pode atender também o Porto de Itaqui no Maranhão”, comenta Gabriel Debellian, presidente da Noxis Energy, em nota.

Ele acrescenta que, por falta de oferta, os navios vêm para o Brasil supridos de combustível para a viagem de retorno. Assim, com a instalação da refinaria, há uma oportunidade para que ela se torne a principal fonte de reabastecimento de um bunker “limpo”, que terá uso compulsório nas embarcações já em 2020, reduzindo o teor de enxofre de 3,5% para 0,5%. Segundo Gabriel Debellian, os cearenses terão prioridade para a mão de obra da refinaria.

Após o licenciamento ambiental, a implantação da refinaria está prevista para ser instalada em no máximo 30 meses. Conforme o Governo do Ceará, a instalação deve estar em consonância com os objetivos econômicos e sociais do Estado, de incremento do nível dos empregos e das receitas, bem como redução das desigualdades regionais e sociais.

(Cominformações/OPovo)

Comente com Facebook