/Estudo da UECE aponta que isolamento social salvou milhares de vidas nas principais capitais do País

Estudo da UECE aponta que isolamento social salvou milhares de vidas nas principais capitais do País

A Universidade Estadual do Ceará (Uece) publicou, no último dia 26 de junho, na Revista Latino-Americana de Enfermagem, o estudo “Estimação e predição dos casos de Covid-19 nas metrópoles brasileiras”. Foi o primeiro estudo “preditivo” no Brasil, com o objetivo de estimar a taxa de transmissão, o pico epidemiológico e óbitos pelo novo coronavírus no país.

O estudo confirmou a rápida disseminação do vírus e sua alta mortalidade, mostrando que, sem as medidas de prevenção e combate à Covid-19 tomadas por Prefeituras e Governos, os números de infectados e mortos seriam ainda maiores.

Para a análise, foram selecionadas as capitais até então com o maior número de casos da infecção – Belo Horizonte, São Paulo e Rio de Janeiro, do Sudeste; Curitiba, Florianópolis e Porto Alegre, do Sul; Manaus, da região Norte; Salvador e Fortaleza, do Nordeste; onde foi aplicado um modelo matemático e epidemiológico para os casos suscetíveis, infectados e recuperados.

Dessa forma, os pesquisadores estimaram o número de casos no 80º dia em cada uma dessas capitais por meio de equações diferenciais. Os resultados foram colocados em logaritmos e comparados com os números reais.

Na capital cearense, foram previstos no estudo mais de 400 mil casos da doença e 4.149 óbitos por Covid-19 até o 80º dia da curva de transmissão, se não tivessem sido aplicadas as medidas de prevenção e combate ao coronavírus. Com adoção de medidas, os números reais foram de 27.905 casos e cerca de 2.500 óbitos.

De acordo com a pesquisadora, enfermeira e coordenadora do Grupo de Trabalho para enfrentamento à pandemia do coronavírus na Uece, professora Lúcia Duarte, Fortaleza estava colocada entre as principais cidades em número de casos logo nas primeiras semanas da pandemia no Brasil; e o estudo mostrou que a capital cearense tinha a maior taxa de transmissibilidade naquele período.

Assim, o isolamento social passou a ser a medida mais segura de combater a doença.

Comente com Facebook