/Ruas desertas no segundo dia de isolamento rígido em Ipueiras

Ruas desertas no segundo dia de isolamento rígido em Ipueiras

O prefeito municipal de Ipueiras, Nenem do Cazuza, baixou um decreto no último dia 02 de julho antecipando feriado e decretando isolamento rígido no município por três dias com o objetivo de conter o avanço da pandemia do novo coronavírus.

Ipueiras tem 224 casos confirmados, 188 casos já recuperados e sete óbitos de acordo com o Boletim Oficial do município publicado neste dia 3 de julho. Na tarde desta sexta-feira (03/07) a prefeitura emitiu mais um comunicado informando a morte de uma paciente de 51 anos do município que fazia tratamento no Hospital são Lucas de Crateús.

Nenhuma descrição de foto disponível.

Após o decreto baixado pelo prefeito Nenem do Cazuza a circulação de pessoas do município ficou bastante reduzida e espera-se um resultado satisfatório por conta das medidas adotadas. No primeiro e segundo dia de isolamento rígido às ruas da cidade aparecem completamente isoladas, apenas profissionais da saúde e da segurança pública circulam para atenderem possíveis ocorrências. Às ruas no entorno do centro comercial foram interditadas e proibidas a circulação no município de veículos e transporte coletivo como vans e D-20.

A imagem pode conter: atividades ao ar livre

De acordo com as informações da assessoria de comunicação do município, o comitê gestor municipal de combate ao coronavírus deve se reunir virtualmente ainda neste final de semana para deliberar sobre as ações que estão sendo tomadas, analisar os dados dos profissionais de saúde, a gravidade clínica dos casos positivados e planejar as próximas condutas a serem adotadas.

Depois de baixado o decreto, o prefeito Nenem do Cazuza, também usou as redes sociais para expressar seu sentimento em relação as consequências das medidas que estão sendo tomadas. “Estou disposto a pagar o preço que for preciso para salvar a vida dos Ipueirenses. Quem quiser fazer política com o cenário que a faça. A política só faz sentido se for para garantir a saúde, o bem estar e a vida, e se o sacrifício presente for capaz de salvar pelo menos uma já terá valido à pena. Que os cidadãos de bem avaliem, no momento oportuno, as prioridades e os valores defendidos por cada um nesse momento.” Escreveu o gestor em suas redes sociais.

Comente com Facebook