/Rede, PT, PSOL e PDT protocolaram representação no Conselho de Ética contra Eduardo Bolsonaro por fala sobre “ruptura” institucional

Rede, PT, PSOL e PDT protocolaram representação no Conselho de Ética contra Eduardo Bolsonaro por fala sobre “ruptura” institucional

A Rede Sustentabilidade, o Partido dos Trabalhadores (PT), o Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) e o Partido Democrático Trabalhista (PDT) protocolaram representação no Conselho de Ética contra o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) após fala sobre “ruptura” institucional. O pedido foi protocolado nesta quinta-feira (28/05).

A ofensiva da oposição veio após declarações do deputado federal Eduardo Bolsonaro em transmissão ao vivo depois da deflagração da operação que investiga aliados do presidente no inquérito das fake news. O parlamentar afirmou não ter dúvida de que será alvo de uma investigação em breve e disse que participa de reuniões em que se discute “quando” acontecerá “momento de ruptura” no Brasil.

“Não tenho nem dúvida que amanhã vai ser na minha casa [que cumprirão mandado de busca], que se nós tivermos uma posição colaborativa, vão entrar na nossa casa, dando risada. Até entendo quem tem uma postura moderada, vamos dizer, para não tentar chegar a momento de ruptura, a momento de cisão ainda maior, conflito ainda maior. Entendo essa pessoas que querem evitar esse momento de caos. Mas falando bem abertamente, opinião de Eduardo Bolsonaro, não é mais uma opção de se, mas, sim, de quando isso vai ocorrer”, destacou o parlamentar.

Em outro momento o parlamentar  disse que uma ditadura não se constrói do dia para noite: “E não se enganem, as pessoas discutem isso. Essas reuniões entre altas autoridades, até a própria reunião de dentro de setores políticos, eu, Bia, etc, a gente discute esse tipo de coisa porque a gente estuda história. A gente sabe que a história vai apenas se repetindo. Não foi de uma hora para outra que começou a ditadura na Venezuela, foi aos poucos.”

O deputado disse ainda que “quando chegar ao ponto que o presidente não tiver mais saída e for necessário uma medida enérgica ele é que será tachado como ditador”.

A live foi transmitida pelo canal de YouTube do blog Terça Livre, de Allan dos Santos, um dos alvos da operação de que investiga a difusão de notícias falsas.

Comente com Facebook