/O infectologista David Uip cobra respeito de Bolsonaro sobre uso de cloroquina

O infectologista David Uip cobra respeito de Bolsonaro sobre uso de cloroquina

O infectologista David Uip, coordenador do centro de contingência ao coronavírus em São Paulo, rebateu nesta quarta-feira (8) as manifestações do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) que tem questionado se o médico foi tratado com hidroxicloroquina para se recuperar da doença. Diagnosticado com COVID-19, o médico ficou duas semanas em isolamento, afastado de suas atividades.

“Presidente, eu respeitei o seu direito de não revelar seu diagnóstico, respeite o direito de não revelar meu tratamento. A minha privacidade foi invadida. A privacidade da minha clínica foi invadida. Tomarei as providências legais adequadas para a invasão da minha privacidade e dos meus pacientes”, afirmou.

A declaração de Uip foi uma referência à imagem de uma receita atribuída a ele, com a prescrição de difosfato de cloroquina. O médico confirmou a veracidade da foto que foi vazada na internet em entrevista à Rádio Gaúcha. O presidente Bolsonaro, que se submeteu a três testes para detectar a presença da COVID-19 em seu organismo, jamais apresentou qualquer documento que comprovasse os resultados negativos.

O médico ressaltou que, em reunião com o ministro da Saúde Henrique Mandetta, na última quinta-fera (2), sugeriu a ampliação do uso da substância para todos os pacientes internados, desde que com prescrição médica e autorização formal do paciente. Esta conduta já consta do protocolo de atendimento aos pacientes com cloroquina.

Ele alertou que cloroquina tem efeitos colaterais “não desprezíveis” e que podem afetar o coração, o figado e a visão. Uip também ponderou que, apesar da autorização de uso em pacientes com coronavírus, “não há um trabalho científico ate agora que concluiu a eficácia deste medicamento”./CNN

Comente com Facebook