/Prefeitos se reúnem na Aprece para discutir prevenção ao novo coronavírus

Prefeitos se reúnem na Aprece para discutir prevenção ao novo coronavírus

Os prefeitos e secretários municipais de diversas regiões do Estado estiveram reunidos, na manhã desta terça-feira (17/03), no espaço de convivência da Aprece, para discutir estratégias de prevenção ao novo coronavírus (Covid-19). O momento também foi de alinhamento das futuras ações de atendimento aos possíveis infectados com a doença que foi recentemente considerada pandemia pela Organização Mundial de Saúde (OMS) devido a seu rápido e preocupante avanço em todo o mundo.

Foram discutidas as medidas a serem adotadas, de modo que as prefeituras se adequem ao decreto assinado pelo governador Camilo Santana que estabelece, entre muitas medidas, o cancelamento, a partir dessa quarta-feira (18), das aulas nas unidades estaduais de ensino. Como resultado da reunião, a Aprece disponibilizou um modelo de decreto a ser adaptado por cada município.

Na abertura da reunião, o presidente da Aprece, Nilson Diniz, ressaltou a importância da mobilização das administrações municipais para o enfrentamento do Covid-19, uma vez que é no município que a população irá buscar os eventuais atendimentos e cuidados necessários. Na oportunidade, o professor Doutor Ivo Castelo Branco fez uma palestra técnica para nivelar os participantes sobre informações gerais sobre a doença, sintomas, forma de contágio e principais cuidados a serem adotados.

Em seguida, o Secretário de Saúde do Estado, Dr. Cabeto, enumerou as prioridades que vem sendo dadas pelo Estado no enfrentamento da doença, dando como exemplo a oferta de leitos extras, bem como a duplicação do número de Unidades de Tratamento Intensino (UTIs) e da carga horária dos servidores dos hospitais. Ele enfatizou que é fundamental que os municípios abracem a luta contra o agravamento do novo Coronavírus, criando e colocando em prática seus planos de contingenciamento, mediante a adoção de um fluxo de procedimentos .

O titular da Secretaria de Saúde do Estado (Sesa) salientou a importância da criação de planos de deslocamentos nos municípios, nos casos mais críticos da doença que necessitem encaminhamento para unidades de referências. Isso mediante transporte sanitário isolado e com o planejamento necessário.  O secretário ventilou a possibilidade de adiamento de algumas cirurgias eletivas, no caso de grande lotação das unidades. Cirurgias estas que deverão ser realizadas em momento posterior, possivelmente em algum esquema de mutirão.

Foi também citada como medida a ser adotada, em comum acordo entre Estado e municípios, a compra em grande escala de Equipamentos e Proteção Individual (EPIs) – como máscaras, luvas, álcool em gel, sabão, etc. A aquisição deverá acontecer de forma coletiva, de modo a baratear os custos. Detalhes como esse, deverão ser definidos em reuniões de trabalho entre representantes da Sesa, da Aprece e do Conselho de Secretários Municipais de Saúde (Cosems/CE).

Sobre a realização dos exames para comprovar a infecção da doença, Dr. Cabeto informou que, nesse momento inicial, o Ceará deverá contar com 10 mil kits para os exames. “A notificação é fundamental para conter o avanço da doença. Desde ontem (16/03), o Lacen (Laboratório Central de Saúde Pública) passou a realizar o exame no Ceará. O resultado é rápido, fica pronto entre 3 e 6 horas”, disse, salientando que os municípios devem priorizar a realização dos exames e a correta notificação, treinando suas equipes para fazer a coleta de forma adequada e segura.

O Ministério Público do Estado (MPCE) se fez presente no evento por meio do Promotor de Justiça Eneas Romero de Vasconcelos, Coordenador do Centro de Apoio Operacional das Promotorias de Defesa da Cidadania, do Idoso, da Pessoa com Deficiência e da Saúde Pública (CAOCIDADANIA) 19ª Promotoria de Justiça de Fortaleza; e da Procuradora de Justiça Isabel Pôrto, Coordenadora auxiliar do CAOCIDADANIA 26ª Procuradoria de Justiça.

Ao fim da reunião ficou estabelecido que a Aprece será uma ponte direta entre a Sesa, que como órgão competende coordena todas as ações de vigilância e saúde, e os municípios cearenses. “O momento agora é de união. Precisamos, Estado e municípios, estruturar o combate ao Coronavírus de forma regionalizada e eficiente”, disse o presidente da Aprece, Nilson Diniz./Aprece

Comente com Facebook