/Bolsonaro sanciona lei que inclui perguntas sobre pessoas com autismo no Censo

Bolsonaro sanciona lei que inclui perguntas sobre pessoas com autismo no Censo

O presidente Jair Bolsonaro sancionou nesta quinta-feira (18/07), a Lei Nº 13.861/2019 (PL N° 139/2018), que prevê a inclusão de informações sobre pessoas com Transtorno do Espectro Autista (TEA)  nos censos demográficos 

“Atendendo à necessidade da comunidade autista no Brasil e reconhecendo a importância do tema, sancionamos hoje a Lei 13.861/2019 que inclui dados específicos sobre autismo no Censo do IBGE. Uma boa tarde a todos!”, escreveu o presidente no Twitter

“Nós, profissionais que atuamos na área, sabemos da importância de se mapear o autismo no Brasil para a criação de um trabalho de políticas públicas eficientes, que abranja pessoas de todo o território nacional, e não apenas nas grandes cidades”, afirma a advogada Diana Serpe, especializada em direitos da pessoa com o Transtorno do Espectro Autista, autora do artigo ‘ Autismo no censo:  vitória do bom senso’

“Isso dará ao poder público informações relevantes para quantificar e qualificar os profissionais que precisam ser preparados para atender essa população com capacitação adequada”, ressalta a especialista.

A inclusão de perguntas sobre pessoas com deficiência no Censo 2020 foi tema de reunião em Brasília, com participação da primeira-dama Michelle Bolsonaro, representantes do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) e da Secretaria Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência, que é vinculada ao Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos (MMFDH).

Desde a semana passada, Bolsonaro indicava que iria vetar o projeto, mas mudou de ideia. Um post do presidente publicado no Twitter reforçava o posicionamento sobre essas informações na Pesquisa Nacional de Amostras por Domicílios (PNAD)

“Como explica a presidente do IBGE, o Censo carece de critérios específicos em relação ao autismo, inviabilizando levantamento adequado, mas existe proposta mais precisa, técnica e que trará resultados 2 anos antes, agilizando o desenvolvimento de políticas públicas eficientes”, afirmou Bolsonaro ao compartilhar vídeo no qual a presidente do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), Susana Cordeiro Guerra, fala sobre a proposta./ AE

Comente com Facebook