/Bolsonaro defende fim da reeleição e voto auditável

Bolsonaro defende fim da reeleição e voto auditável

O presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) pela primeira vez nesta campanha se encontra na defensiva, sob forte ataque da imprensa, do PT e agora com a Justiça e a Polícia Federal anunciando que irão intensificar as investigações das denuncias de disparos de mensagens em massa por parte de empresários apoiadores de Bolsonaro, que supostamente caracterizaria Caixa 2 e abuso de Poder Econômico, fatos que já geraram denuncias no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). 

Diante da atuais circunstâncias a equipe de campanha de Bolsonaro estuda a possibilidade dele continuar no retiro de descanso, ou se deve intensificar os ataques ao PT nesta reta final de campanha. Neste sábado (20/10) o presidenciável negou as acusações e defendeu o fim da reeleição e um sistema seguro de votação.

Jair Bolsonaro afirmou que pretende faz uma “excelente Reforma Política” e voltou a sugerir o fim do instrumento da reeleição e a redução do número de congressistas. “Um presidente não tem autoridade para fazer reforma política. Cada parlamentar vota de acordo com seu interesse. O que eu pretendo fazer, tenho conversado com o Parlamento também, é você fazer uma excelente reforma política para acabar com o instituto da reeleição, que no caso começa comigo, se eu for eleito, e diminuir um pouco – 15%, 20% – a quantidade de parlamentares.”

O presidenciável ainda declarou, no contexto de uma eventual reforma, que o ideal seria “criar um sistema eletrônico de votação confiável, que possa ser auditável”

Comente com Facebook