/Vilão em 2017, Matheus Savio comemora redenção no Fla: “Tudo é aprendizado”

Vilão em 2017, Matheus Savio comemora redenção no Fla: “Tudo é aprendizado”

Cada como um dia após o outro. Na Libertadores de 2017, foi Matheus Sávio quem perdeu a bola que culminou no gol do San Lorenzo e carimbou a eliminação do Flamengo nos acréscimos. No clássico do último sábado diante do Botafogo, voltou a chamar atenção, mas dessa vez de maneira positiva.

O belo gol bem no início da partida simbolizou a ótima atuação do meia, escalado de última hora por conta da lesão de Marlos Moreno. Sobre o episódio no ano passado, o jovem jogador prefere enxergar o lado bom. Para ele, o aprendizado foi válido.

– Tudo é aprendizado. A gente aprende nos momentos bons, nas adversidades, dentro de campo, fora de campo. Então, eu levo isso como um aprendizado para mim. Eu procuro evoluir a cada dia. Me apego muito aos meus pais, à minha família, ao clube que me dá todo o apoio e eu busco trabalhar todos os dias para que eu possa melhorar.

Perguntado se está pronto para assumir a titularidade, o “garoto” de 21 anos não titubeou.

– Sim, todo mundo tem que estar pronto. Eu, assim como todos que vem treinando no dia a dia, todo mundo está pronto para receber a oportunidade. E o professor Barbieri sabe o momento certo e que quem estiver melhor vai ter oportunidade.

O Flamengo é líder do Campeonato Brasileiro, com 30 pontos, um a mais que o São Paulo. O próximo compromisso rubro-negro será contra o Santos, nesta quarta-feira, às 21h45 (de Brasília), na Vila Belmiro.

Vitória no clássico

É um momento de muita felicidade. Uma vitória num clássico. Um jogo bastante difícil. A gente conseguiu sair logo na frente do placar, depois fomos administrando e conseguimos um resultado muito importante para nós. Para a gente que quer manter em alto nível, jogando jogo a jogo, buscando a vitória a cada jogo, então foi excepcional para a gente.

Golaço e cruzamento para segundo gol
Na verdade ali no primeiro lance eu recebi a bola e fui para dentro do lateral-direito deles. Quando eu comecei a pedalar eu estava olhando mais para baixo, mais fixado na bola. E quando eu levantei a cabeça eu vi que eu tava muito mais próximo do gol do que quando eu recebi a bola. E a intenção era chutar pro gol sim, porque no segundo gol, quando eu recebi a bola mais pra trás a minha intenção foi cruzar na área.

Estilo na hora do chute
Ah, cara… No momento ali acho que sai espontâneo né. Era o único movimento que dava pra fazer, senão eu poderia acabar perdendo a bola e graças a Deus deu certo.

Escalação de última hora
Desde o início o professor Barbieri vem me passando muita confiança. Eu vinha treinando muito bem, dando a vida nos treinos. Buscando dar o melhor sempre. E quando teve a lesão do Marlos, o professor Barbieri me chamou no quarto dele pra me passar o que eu deveria fazer. Os movimentos das bolas paradas. Me passar total confiança que ele e o elenco tinham em mim.

Característica como atleta
Eu gosto muito de trabalhar. Eu gosto de treinar. Eu gosto me empenhar e de a cada dia melhorar. E dentro de campo eu tenho que estar pronto. Sei que não são nos jogos, mas sim nos treinamentos que eu vou me qualificar ainda mais pra que nos jogos eu possa corresponder.

Temor pelo futuro no Fla depois das críticas

Não, de maneira alguma. Como eu disse, tudo é aprendizado. Nas adversidades e nos momentos bons. O clube me deu todo o apoio que eu pude ter. Eu aprendi muito no decorrer do ano, na sequência do Campeonato Brasileiro. Como eu disse é tudo um aprendizado, nos momentos bons que eu tive no clube e venho tendo, então acho que é aprendizado pra a gente evoluir cada dia mais.

Empréstimo para o Estoril
Foi uma experiência boa para mim. Foi onde eu pude evoluir bastante, ter uma experiência fora do Brasil. Onde eu, meus empresários, o Flamengo, achou que foi o melhor pra mim. E eu fui com o mesmo empenho.

Me empenhei bastante e pude voltar agora no meio do ano. Teve essa pausa da Copa do Mundo e eu pude treinar bastante e pude mostrar pro professor Barbieri que eu vim pra somar, que eu tô no grupo pra ajudar. Quero ser mais um nesse grupo para que a gente possa conquistar coisas grandes.

Futuro no clube e objetivos
Cara, eu tô muito realizado com a minha volta. Eu tô muito feliz. Quero continuar dando sequência nesse ano que a gente tá tendo excepcional até aqui. Vou fazer de tudo pra que a gente continue assim. Então eu almejo muitas coisas grandes. Ganhar títulos aqui, ganhei o Campeonato Carioca ano passado.

Mas não é o bastante para um clube como o Flamengo, então a gente tá em busca de coisas maiores e estamos dentro das três competições. Vamos nos doar ao máximo sempre e buscar coisas grandes. Esse é meu maior objetivo, hoje muito realizado em ter voltado. É a realização de um sonho pra mim./ ge

Comente com Facebook