/Segurança Pública: “é preciso sair do convencional, desafiar a lógica e lançar um “olhar rebelde”, diz Ciro

Segurança Pública: “é preciso sair do convencional, desafiar a lógica e lançar um “olhar rebelde”, diz Ciro

O presidenciável Ciro Gomes (PDT), por ocasião da abertura do “Seminário Internacional Sobre Segurança Pública,” na noite desta terça-feira (05/06), na Assembleia Legislativa do Ceará (AL-CE), defendeu um Pacto Federativo bem delimitado entre os entes federados, com definições claras sobre o que compete a cada um, na missão de resolver o problema da segurança pública no País.

Ciro disse que é preciso reunir as inteligências desse do Brasil e pedir ajuda de outros países que tiveram experiências exitosas na área e convocar os especialistas para montar esse quebra cabeça e encontrar uma solução definitiva para o problema. Para ele, não se pode querer uma solução de faz de conta, mas algo que se tenha resultado a longo prazo. O presidenciável afirmou que o modelo tradicional está mais do que provado que não dá certo. Ele citou o exemplo do Rio Grande do Sul onde não houve tantos investimento na área de segurança pública e citou o exemplo dos investimentos realizados pelo Estado do Ceará e em ambos os casos a violência aumentou.

Para o pré-candidato a presidente, o que é mais alarmante, são os dados do Atlas da Violência 2018, divulgado ontem (04/06) pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). O documento mostra um aumento do número de assassinatos de negros e pardos no País. “São jovens e adolescentes cooptados pelos narcotraficantes que em busca de uma perspectiva de vida melhor, acabam entrando em um caminho sem volta,” destaca o presidenciável.

Ciro criticou duramente a Emenda 95 que limita os gastos públicos por 20 anos. “Como vamos resolver o problema da segurança pública se não tenho capacidade de investimento. De cada 100 reais que o governo arrecada, mais da metade são para pagar juros e rolagem de dívidas a bancos e o restante parar investir em Educação, Saúde, Segurança Pública, Cultura, Esporte, Lazer. Como pode funcionar esse modelo, se durante 20 anos, tenho que manter esse investimentos congelados. Como vamos investir em tecnologia, drones, satélites para evitar a entrada de drogas no nosso País? É esse o desafio que venho lançar aqui, que possamos ter um olhar “rebelde” sobre o momento que estamos vivendo, o tradicional e trivial não vem dando certo e está provado, precisamos desafiar essa lógica e encontrar novos caminhos.” Ressaltou Ciro Gomes.

O Seminário Internacional de Segurança Pública segue até sexta-feira (08/06), no anexo da  Assembleia Legislativa, com mesas temáticas, fóruns,  palestras, debates e conferências que buscam apontar soluções para o problema da segurança pública.

(Foto: reprodução)

Comente com Facebook