/O preço das nossas escolhas, o que vem por aí, depois da greve dos caminhoneiros?

O preço das nossas escolhas, o que vem por aí, depois da greve dos caminhoneiros?

Não se pode esperar muito de um governo fragilizado. Temer se arrasta para concluir o mandato. O presidente da Câmara Rodrigo Maia (DEM), deu uma declaração de que caso ocorra uma nova denuncia, nem o Papa salvaria o presidente da degola. Mas, o tempo é curto até as eleições presidenciais e o melhor caminho é sempre o de preservar a democracia.

O Brasil apoiou a greve dos caminhoneiros porque não aguenta mais a alta carga tributária, é muito imposto para pouco retorno. A sociedade está exausta e essa pressão pode explodir a qualquer momento.

Todavia, o brasileiro precisa compreender que o caminho até as eleições, quando o povo vai às urnas para escolher seu  novo presidente, ainda é longo. Vai ter que conviver com um Executivo que se arrasta, um Legislativo que só pensa naquilo e um Judiciário que a cada dia reforça a imagem de que a justiça é seletiva.

A greve dos caminhoneiros que parou o país, também deveria fazer o cidadão parar para refletir sobre suas escolhas nas eleições deste ano. As crises, sejam elas embaladas nas rodas de um caminhão ou não, dependem das nossas decisões.

(Reginaldo Silva, Ceará Notícas)

Comente com Facebook