/Greve permanece até que seja aprovada lei de isenção de tributos

Greve permanece até que seja aprovada lei de isenção de tributos

A greve dos caminhoneiros tem o peso de parar o País, porém, não existe um comando centralizado e as informações começam a se desencontrar. Um corpo sem cabeça, não tem direção.

A maior parte das entidades dos caminhoneiros aceitou pedido de trégua feito pelo governo. No entanto, o presidente da Associação Brasileira dos Caminhoneiros (Abcam), José da Fonseca, afirmou que irá orientar sua base a manter a paralisação até que seja aprovada e sancionada a lei que desonera o diesel do PIS/Cofins e da Cide. Enquanto não sair em Diário Oficial a greve permanece. José Fonseca diz liderar a maioria dos caminhoneiros que adere à greve.

O projeto aprovado nesta quarta-feira (23/05), na Câmara, ainda precisa passar pelo Senado. O 4º dia de greve foi marcado por protestos em 24 Estados, além do Distrito Federal. Em São Paulo, motociclistas se uniram a caminhoneiros.

Aqui no Ceará foram registrados pontos de bloqueios na capital, região metropolitana e nas rodovias. As BRs 116, 22, 304 e 020 registraram bloqueios e consequentes congestionamentos. Em Chorozinho, Penaforte e Tianguá também foram registradas paralisações de caminhoneiros.

Na capital cearense até agora não existe nenhum relato de paralisação de ônibus ou de redução de frotas.

 

 

Comente com Facebook