/Camilo e o ritual do “lava pés”

Camilo e o ritual do “lava pés”

O ex-governador Cid Gomes quando deixou o governo, levou consigo a marca de realizador. Mas, também deixou algumas arestas para serem aparadas pelo próximo gestor, sobretudo, com a classe de policiais e professores.

Cid fez muito pelo Ceará. Mudou a paisagem de muitas cidades do interior, que há anos, não viam a “mão invisível” do Estado pesar sobre os municípios interioranos. Escolas Técnicas, Policlínicas, Delegacias foram algumas das marcas deixadas pelo então governador Cid Gomes.

Camilo já entrou em campo aos 47 do segundo tempo, quando já havia passado o tempo regulamentar. Escalado de última hora para disputar o governo do Estado, contra um candidato que já batia a marca dos 40% nas pesquisas. Camilo iniciou a campanha com nome de filme americano, “Missão Impossível”.

Mas, a incredulidade virou uma crença na virada do primeiro para o segundo turno. Logo depois, tornou-se uma realidade.

Camilo ganhou as eleições para governador do Ceará, com as bençãos dos Ferreira Gomes. O PT foi muito importante na vitória, mas não manteve a unidade. Luizianne não subiu no palanque de Camilo, devido as divergências com os irmãos Ferreira Gomes.

Camilo ao assumir o governo, ainda que de forma tímida, foi construindo seu próprio caminho.  Trocou as fotos oficias de governador nas repartições públicas por fotos de populares e deu o tom de seu governo. Vamos humanizar a gestão. Assim o fez e, seguiu em frente. À medida que o tempo ia passando, ele agradou a classe de professores, neutralizou a classe de policiais e por último, conquistou a própria oposição.

É bem verdade, que o quadro de violência no Estado, deixa uma mácula em seu governo. Mas, até mesmo este importante aspecto da administração, não tem conseguido parar sua escalada rumo a reeleição. Ele já conta com mais de 20 partidos que apoiam a base do governo e devem marchar juntos nas eleições deste ano.

Camilo vem retribuindo aos Ferreira Gomes, o que eles fizeram por ele lá atrás. A gratidão em política, ainda conta muito para aqueles que querem prosperar. Mas, a maior marca do petista, ainda é a humildade. A forma como trata aliados e adversários, partidários e dissidentes, além do jeito simples em que abraça e tira fotos com os mais humildes em eventos e inaugurações, tem demonstrado que Camilo aprendeu mais do que ninguém, a lição do ritual do lava pés.

(Reginaldo Silva, Ceara Notícias)

 

 

 

 

 

Comente com Facebook